Embaixada agita na web visita de Obama

Corrente na internet encoraja brasileiros a enviar mensagens de boas-vindas em troca de prêmios

Lisandra Paraguassu, O Estado de S.Paulo

11 Março 2011 | 00h00

A embaixada americana em Brasília decidiu preparar uma corrente de boas-vindas ao presidente Barack Obama, que visita o Brasil nos dias 19 e 20 deste mês. Desde o fim de semana, uma campanha via redes sociais na internet encoraja os brasileiros a enviar mensagens ao presidente americano. Em troca, os internautas mais entusiasmados receberão prêmios que vão de camisas e canecas com a imagem de Obama até iPhones e iPads.

No Twitter da embaixada americana o convite para participar da promoção é feito várias vezes ao dia. Na tarde de ontem, a mensagem dizia: "Estamos quase no final do carnaval, mas você ainda tem muito tempo para mandar uma mensagem de boas-vindas ao #ObamainBrazil."

É a primeira vez que uma ação desse tipo é feita pelo governo americano para promover uma viagem presidencial - mesmo para Obama, que se empenha em incrementar o tom popular de suas visitas.

De acordo com a embaixada, ele tem uma especial preocupação, no Brasil, de ter contato direto com o povo. A agenda inclui, por exemplo, uma visita a uma favela no Rio e, apesar de não estar confirmado, a um local onde possa discursar para o povo.

Na tarde de ontem a embaixada liberou as primeiras mensagens para o presidente. Havia desde agradecimentos pelas doações feitas às vítimas dos deslizamentos na região serrana do Rio até um convite para Obama se unir ao "estilo brasileiro de vida". Até o fim da tarde foram colocadas 63 mensagens.

No site criado para a visita, é possível também baixar um papel de parede com a imagem de Obama e gravar vídeos para ele. Todas as semanas, as melhores mensagens serão escolhidas. Além de camisetas, canetas, canecas e outras lembranças com a imagem de Obama, da Casa Branca e o slogan "Yes, We Can", usado em sua campanha eleitoral, há ainda bolas de basquete e livros do presidente, bem como iPhones e iPads. Mas também há, de acordo com a embaixada, "prêmios especiais" que só serão divulgados mais tarde.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.