1. Usuário
Assine o Estadão
assine

Encontrado bebê raptado na Santa Casa de Porto Alegre

O Estado de S. Paulo

25 Junho 2014 | 11h 12

Recém-nascida foi achada na residência de uma mulher no bairro Lami, na zona sul

PORTO ALEGRE - Depois de passar nove horas longe da mãe, a recém-nascida que foi raptada de dentro de um hospital, em Porto Alegre, foi reencontrada. A pequena Bárbara passa bem. Ela foi achada na casa de Luciana Soares Brito, 39, suspeita pelo seu rapto, no bairro Lami, na zona sul da capital, no início desta madrugada.

O bebê havia sido levado dos braços da mãe, Viviane Beatriz Casagrande, por volta das 16h dessa terça-feira, de dentro do quarto em que se recuperavam, na maternidade Mário Totta do Complexo Hospitalar Santa Casa.

Vestindo roupas brancas, Viviane, que foi reconhecida pela mãe da menina, entrou no quarto se dizendo enfermeira, e que levaria o bebê para fazer exames. Por desconfiar do comportamento da suspeita, Viviane se dirigiu ao posto de enfermagem, que desmentiu qualquer procedimento agendado para a criança.

A segurança foi acionada, mas Luciana deixou o complexo hospitalar calmamente com Bárbara no colo. Câmeras de segurança flagraram a fuga da mulher, que entrou em um táxi. As imagens foram divulgadas pelos meios de comunicação e logo se espalharam pelas redes sociais.

À noite, a polícia recebeu dois telefonemas dando pistas sobre a suspeita. Os policiais foram até a casa de familiares de Luciana e, de lá, seguiram para o seu endereço, onde ela vive com cinco filhos.

Na delegacia, a suspeita relatou que queria apenas cuidar do bebê. "Eu ia cuidar dela junto com a outra criança que tinha na barriga", disse, visivelmente perturbada.

A polícia suspeita que Luciana tenha problemas mentais. Não foi confirmado que ela esteja grávida. Entretanto, várias produtos para recém nascidos foram encontrados em sua casa. Os investigadores acreditam que o crime foi premeditado. Eles investigam agora a participação de uma segunda pessoa no rapto e se a motivação não seria vender o bebê. Isso porque, segundo o titular da 17ª Delegacia de Polícia da Capital, delegado Hilton Müller, nas imagens das câmeras de segurança Luciana aparece com Bárbara no colo e falando ao telefone.

Luciana foi presa e encaminhada ao presídio feminino Madre Pelletier, em Porto Alegre. A Santa Casa informou que auxiliou nas investigações, divulgando imagens de seu circuito interno, e que abrirá uma sindicância para averiguar a fragilidade na segurança.

Você já leu 5 textos neste mês

Continue Lendo

Cadastre-se agora ou faça seu login

É rápido e grátis

Faça o login se você já é cadastro ou assinante

Ou faça o login com o gmail

Login com Google

Sou assinante - Acesso

Para assinar, utilize o seu login e senha de assinante

Já sou cadastrado

Para acessar, utilize o seu login e senha

Utilize os mesmos login e senha já cadastrados anteriormente no Estadão

Quero criar meu login

Acesso fácil e rápido

Se você é assinante do Jornal impresso, preencha os dados abaixo e cadastre-se para criar seu login e senha

Esqueci minha senha

Acesso fácil e rápido

Quero me cadastrar

Acesso fácil e rápido

Cadastre-se já e tenha acesso total ao conteúdo do site do Estadão. Seus dados serão guardados com total segurança e sigilo

Cadastro realizado

Obrigado, você optou por aproveitar todo o nosso conteúdo

Em instantes, você receberá uma mensagem no e-mail. Clique no link fornecido e crie sua senha

Importante!

Caso você não receba o e-mail, verifique se o filtro anti-spam do seu e-mail esta ativado

Quero me cadastrar

Acesso fácil e rápido

Estamos atualizando nosso cadastro, por favor confirme os dados abaixo