Estelionatário que aplicou 2,5 mil golpes é preso em SP

A polícia prendeu ontem Rosário Kazuhaki Yamamoto, de 60 anos, acusado de aplicar pelo menos 2.500 golpes de estelionato em empresários da Região Metropolitana de São Paulo e do interior do Estado. Yamamoto foi pego quando caminhava pela Avenida Barreira Grande, na zona leste. Segundo a polícia, ele se rendeu e confessou os crimes. Yamamoto disse que "vivia" dos golpes há mais dez anos e, nesse período, até se passou por membro da família imperial do Japão. Durante o depoimento, o acusado se sentiu mal. Segundo Arthur Frederico, delegado titular do 41º Distrito Policial (Vila Rica), Yamamoto alegou diversas vezes que estava com pressão alta, apresentando sintomas que davam a entender que ele desmaiaria. Ele foi levado ao Hospital Iva Benedito, onde permanece internado sob escolta policial. Ele não corre risco de morrer. O delegado explicou que o centenário da imigração japonesa no Brasil serviu de inspiração para o estelionatário."Ele se apresentava como descendente da família imperial japonesa no Brasil. Depois, para enganar as vítimas, mostrava jornais com fotos de ministros e até do príncipe japonês", contou. Ainda de acordo com o delegado, o acusado apresentava um cartão do Centro Cultural Nikkey do Brasil e dizia aos empresários que se eles pagassem de R$ 100 a R$ 200 poderiam trabalhar o ano todo para a comunidade japonesa. Yamamoto estava sempre bem vestido. Em alguns casos, fornecia telefone falso, mas, quando a vítima tentava ligar, percebia que tinha caído no golpe. "Depois que a imagem de Yamamoto foi divulgada nas televisões (ontem), várias vítimas estão nos procurando", disse o delegado. A polícia acredita que o acusado recebeu cerca de R$ 100 mil com os golpes. Com ele, investigadores encontraram um caderno onde estão grampeados vários cartões de comerciantes vítimas do crime. INTERNET O delegado explicou ainda que a imagem de Yamamoto está sendo veiculada em sites japoneses, para que mais vítimas possam procurar a polícia. Após receber alta médica, o suspeito será transferido para um Centro de Detenção Provisória. Em depoimento, Yamamoto contou que é casado e tem uma filha. Em registros da polícia, consta que o suspeito já tinha passagem por estelionato.

Camilla Haddad, O Estadao de S.Paulo

15 Agosto 2008 | 00h00

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.