Ex-presidiária é presa acusada de dar golpes de estelionato

A catarinense e ex-presidiária Marinês Zanatta da Silva, de 43 anos, que, no dia 28 de setembro de 2005 saiu do Dacar IV do Cadeião de Pinheiros, onde cumpriu pena pelo exercício ilegal da profissão de farmacêutica, foi detida, no início da noite de terça-feira, por agentes da equipe 30 do Grupo de Operações Especiais (GOE), da Polícia Civil. Acusada de aplicar golpes em aposentadas, bancos e no comércio, ela foi presa quando andava pela Rua Doze de Outubro, tradicional centro comercial no bairro da Lapa, zona oeste da capital paulista. Por meio de denúncia anônima, os policiais civis chegaram até a criminosa e, na bolsa dela, encontraram várias carteiras de identidade e CPFs, tudo falso. Nos documentos, havia a foto dela e dados de aposentadas. Após várias perguntas, os policiais fizeram com que Marinês os levasse até seu flat, o de número 309 localizado na altura do nº 1.661 da Rua Anapurus, em Moema, na zona sul da capital. No imóvel, os policiais encontraram mais documentos falsos, totalizando 29 RGs e CPFs. "Com os documentos falsos ela conseguia sacar dinheiro de contas de muitas aposentadas, fazia empréstimos em financeiras, retirava cartões de crédito, conseguia empréstimos nos bancos e usava os cartões facilmente no comércio. Até comprovantes de renda e extratos de contas das vítimas ela conseguia", disse um dos investigadores. A estelionatária foi levada ao 07º Distrito Policial, da Lapa, e, de lá, deve voltar para o Cadeião de Pinheiros.

Agencia Estado,

15 Fevereiro 2006 | 03h36

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.