Ex-vice de Serra, Índio negocia adesão ao PSD

O ex-deputado federal Índio da Costa (DEM), candidato derrotado a vice-presidente na chapa de José Serra (PSDB) em 2010, conversa hoje com o prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab, sobre o novo PSD, mas ainda não decidiu oficialmente se vai integrar a sigla.

Wilson Tosta / RIO, O Estado de S.Paulo

23 Março 2011 | 00h00

Sem cargo público, Índio pode ser em 2012 a principal aposta no Rio da legenda fundada por Kassab, com perfil para tentar a prefeitura. Embora com boas relações com o comando nacional do Democratas, mantém atualmente divergências com o grupo do ex-prefeito Cesar Maia e seu filho, o deputado federal Rodrigo Maia (RJ), provável concorrente ao Palácio da Cidade, que podem inviabilizar sua permanência no DEM.

"Não decidi ainda o que fazer, mas em qualquer lugar que estiver, defenderei as mesmas ideias que defendi na campanha eleitoral do ano passado", disse Indio ao Estado. "Agrada-me muito o conteúdo do PSD. Aquilo é o Democratas com conteúdo social." Segundo ele, o PSD nasce como partido "independente, não fará oposição por oposição, nem será governista".

Índio está sem mandato, não tendo, por isso, pressa para trocar o DEM pelo PSD, já que não precisa ser fundador do novo partido para não perder um cargo eletivo, situação de quem ocupa posto legislativo ou cargo de titular ou vice no Poder Executivo. Ele tem conversado com dirigentes nacionais do Democratas sobre sua posição em relação aos Maia. Seus interlocutores são o novo presidente nacional, senador José Agripino Maia (RN), o deputado federal ACM Neto (BA) e o ex-senador Jorge Bornhausen (SC).

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.