Famílias processam a Team

Elas dizem que empresa não prestou nenhum apoio

Roberta Pennafort, O Estadao de S.Paulo

13 Outubro 2007 | 00h00

Passado um ano e meio do acidente com o avião da Team em Rio Bonito, parentes das vítimas dizem que jamais receberam ajuda da companhia. Familiares de pelo menos 5 dos 17 passageiros mortos entraram na Justiça requerendo reparação por danos morais. Patrícia de Castro Carvalho, viúva de Henrique Fernandes Carvalho, reagiu ao resultado do relatório com indignação. "O relatório foi divulgado para as famílias há um mês e meio. Sentimos muita revolta. Já tínhamos a suspeita de que a empresa não cumpria normas de segurança, mas agora veio a comprovação definitiva", disse Patrícia, que estava casada com Carvalho havia apenas dez meses. Em 31 de março de 2006, como os demais passageiros do vôo 6865, Carvalho viajava a trabalho de Macaé, norte do Estado do Rio, para a capital. O vôo levava funcionários da Petrobrás e de uma empreiteira, além de executivos de empresas com escritórios na região. "Provavelmente, o piloto teve excesso de segurança. Ele descumpriu várias regras, encurtou o trajeto, o que não poderia ter feito sem o consentimento da empresa", criticou Patrícia, que, com os sogros, está preparando ação contra a Team. Para ela, o relatório "é muito importante", "mas a revolta não acaba". "O relatório ratifica o que eu já sabia. Só terei um ponto final quando as pessoas forem responsabilizadas." Segundo Patrícia, a Team "não deu nenhum apoio" - só pagou às famílias o seguro obrigatório ao qual todos os passageiros têm direito. Ela contou que alguns parentes de outras vítimas enfrentam dificuldades financeiras, pela perda do provedor da família. O estudante Bruno Souza, de 16 anos, filho do passageiro Marden Souza, também contou que a família "não recebeu nenhuma assistência" da Team. "Eles estão tentando tirar a culpa de cima deles." Desde o acidente, a mãe de Bruno, Claudia Souza, vem denunciando o descaso da companhia aérea. Em junho de 2006, ela e parentes de outras cinco vítimas decidiram processar a empresa. O Estado não localizou ontem representantes da Team para comentar as críticas das famílias .

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.