1. Usuário
Assine o Estadão
assine

Forças de Segurança ocupam o Complexo da Maré, no Rio

O Estado de S. Paulo

30 Março 2014 | 09h 37

Sem resistência da população, operação de ocupação envolveu a Polícia Militar e a Marinha do Brasil e levou 15 minutos

Quinze minutos foram suficientes para que o Comando de Operações Especiais da Polícia Militar do Rio de Janeiro ocupasse o Complexo da Maré, um dos maiores conjuntos de favelas no Centro da capital fluminense. As comunidades estão sob o controle da polícia desde as 5h30 deste domingo (30) e não houve resistência durante a ocupação.

As Forças de Segurança continuarão nas comunidades em operações de buscas de criminosos e apreensões de armas, drogas e objetos roubados. O objetivo é estabelecer na região uma Unidade de Polícia Pacificadora (UPP), modelo criado em 2008 para conter o avanço da violência no Rio.

De acordo com uma nota divulgada pelo Governo do Rio de Janeiro, as Forças Estaduais de Segurança ocuparam 15 comunidades no Complexo da Maré. São elas: Praia de Ramos, Parque Roquete Pinto, Parque União, Parque Rubens Vaz, Nova Holanda, Parque Maré, Conjunto Nova Maré, Baixa do Sapateiro, Morro do Timbau, Bento Ribeiro Dantas, Vila dos Pinheiros, Conjunto Pinheiros, Conjunto Novo Pinheiros (Salsa e Merengue), Vila do João e Conjunto Esperança.

Trabalho em equipe. A Marinha do Brasil e a Polícia Civil também participaram da operação. Os 21 blindados da Marinha foram os primeiros a entrar nas vielas. Em seguida, ingressaram cerca de 1200 policiais militares dos batalhões de Operações Especiais (Bope), de Choque e de Ações com Cães. Toda a operação teve apoio de helicópteros da Polícia Militar, entre eles o blindado conhecido como caveirão do ar.

Paralela à ocupação pelas tropas, a Polícia Federal realiza uma operação para cumprir mandados de prisão contra integrantes da facção Terceiro Comando Puro, cujo chefe, Marcelo Santos das Dores, o Menor P, foi preso na quarta feira numa cobertura de luxo em Jacarepaguá, na zona oeste. Até o momento, três pessoas acusadas de envolvimento com o TVP foram presos: um agente penitenciário (preso na Barra da Tijuca), um policial militar do 5o. Batalhão, e uma mulher que seria amante de Menor P.

A PF também apreendeu cerca de meia tonelada de maconha e armas escondidas dentro de um bueiro na Vila Olímpica da Maré. O material foi levado para a Superintendência da PF, no Centro.

 

Bandeira hasteada. Por volta das 9h30, os policiais e moradores hastearam uma bandeira do Brasil e do Estado do Rio de Janeiro Praça Vila do Pinheiro, localizada numa região central do Complexo da Maré. A cerimônia, repetida em todas as UPPs que já foram implementadas, simboliza a retomada do controle do território pelas forças de segurança.

A Secretaria e Segurança no Rio solicitou que os moradores colaborem denunciando criminosos. Além disso, foi organizado um esquema para todos os motoristas e motociclistas que entrarem na favela tenham seus veículos revistados. Problemas de conduta dos policiais envolvidos na operação também devem ser notificados à Ouvidoria da Polícia (tel. 3399-1199) ou à Corregedoria da Polícia Militar (tel. 2332-2341).