Pei Fon/ Secom Maceió
Pei Fon/ Secom Maceió

Fortes chuvas deixam ao menos 4 mortos em Maceió

Cidade decretou situação de emergência e estado de calamidade pública; prefeito conseguiu reforço do Exército e da Defesa Civil Nacional

O Estado de S.Paulo

27 Maio 2017 | 14h24
Atualizado 27 Maio 2017 | 19h09

A Prefeitura de Maceió decretou, neste sábado, 27, situação de emergência e estado de calamidade pública devido às fortes chuvas que caem na capital alagoana desde a noite de sexta-feira, 26. Houve 23 quedas de barreiras em vários pontos e, segundo os bombeiros, pelos menos 4 pessoas morreram e 33 ficaram feridas.

“Todas as equipes da prefeitura estão mobilizadas nesse esforço coletivo de atender as demandas da população imensamente prejudicada com as fortes chuvas que caem sobre Maceió. Chuvas que são as mais intensas dos últimos anos, segundo registros dos órgãos de monitoramento meteorológico", disse o prefeito Rui Palmeira (PSDB), em nota divulgada pela Secretaria Municipal de Comunicação.

Entre maio e abril, já choveu 55% do volume previsto para quatro meses, segundo dados da Defesa Civil. É o maio mais chuvoso desde 2010. O órgão recebeu, até a tarde deste sábado, mais de 350 ocorrências na capital alagoana desde o último domingo, 21, quando as chuvas tiveram maior intensidade.

Foram registrados 23 deslizamentos de barreiras, sete quedas de árvores, uma ameaça de deslizamento e oito ameaças de desabamento de imóveis. A Secretaria Municipal de Assistência Social (Semas) montou um abrigo provisório na Escola Municipal Nosso Lar, no Vergel, para atender as pessoas desabrigadas e desalojadas.

Segundo a secretaria, 300 famílias já foram atendidas. Dessas, algumas vão ficar na casa de parentes ou amigos e cerca de 100 pessoas disseram que não têm para onde ir.

Por conta das ocorrências, alguns pontos da capital foram interditados pela Superintendência Municipal de Transporte e Trânsito (SMTT). Entre eles, a Ladeira Geraldo Melo, a Avenida Senador Rui Palmeira e as vias de acesso ao bairro da Chã da Jaqueira. A iluminação pública também foi afetada em alguns bairros, que estão sem energia.

Em Brasília, o prefeito Rui Palmeira anunciou, no fim desta manhã, que conseguiu reforço de 100 agentes do Exército e mais dois técnicos da Defesa Civil Nacional, que serão enviados ainda hoje para ajudar na coordenação dos trabalhos.

As mortes ocorreram em Chã da Jaqueira, Grota do Pau D'Arco e Grota Santo Amaro (dois casos). Só a Defesa Civil recebeu 354 chamados da população desde o domingo passado. Os registros apontam, ao todo, 98 deslizamentos de barreiras e 19 ameaças, 57 desabamentos de residências e 52 imóveis com a estrutura comprometida e ameaçada, 37 quedas de árvores e 75 com risco, além de 16 pontos de inundação.

Exército. O prefeito Rui Palmeira (PSDB) anunciou que conseguiu reforço de 100 agentes do Exército e da Defesa Civil Nacional. Uma força-tarefa já auxilia no atendimento de desabrigados na capital alagoana

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.