Funk vence o samba em camarote da Sapucaí

No camarote da Brahma, o funk venceu o samba. DJ Marlboro esperou a Mangueira entrar para assumir a pista interna da cervejaria, no início da madrugada de terça-feira, e esvaziar as mini-arquibancadas da sacada, no desfile da Viradouro, com um recado: "Só as cachorras, as preparadas, as popozudas, o baile todo." A proporção, por baixo, era de três mulheres para cada homem. O Bonde do Tigrão dominou o camarote. Foi a estréia de Marlboro no ´carnaval´ da Sapucaí. "Estou achando muito legal, é a primeira vez que eu toco no sambódromo, estar aqui hoje é também uma quebra de barreira", declarou. "O funk se dá bem com o samba, o axé, o rock e a música eletrônica, tem essa coisa de abraçar tudo que é diferente, mas ainda é muito ´preconceituado´." Uma hora de pancadão, pista lotada, sacada quase vazia, e Marlboro anuncia, sem constrangimento: "Daqui a pouquinho tem mais, gente, agora vamos ver o desfile da Mocidade." Ordem cumprida. No intervalo, a reportagem perguntou ao DJ se ele escolhera um repertório específico para a noite e se ele achava que havia ´cachorras´ no camarote da Brahma. "Não, aqui só tem menina de família", respondeu Marlboro, rindo. Durante o desfile da Unidos da Tijuca, mais funk. Até o restaurante ficou vazio - coisa rara no camarote da Brahma. "O pessoal costumava brigar por um lugar na sacada, agora tá vazio, veio todo mundo pra cá, inverteu tudo. Esse cara é bom", comentou um garçom. Jovens convidadas evoluíam para cima e para baixo - bem para baixo -, contagiadas pelo ritmo do funk. Pareciam ter esquecido o desfile. A modelo Raica Oliveira e a apresentadora Daniela Cicarelli mais uma vez não se cruzaram no camarote, como acontecera no domingo de carnaval. A atual namorada de Ronaldo dançou o funk. Cicarelli, a ex, preferiu o samba. Bem humorada, ela disse, porém, que não viu "a mangueira entrar". A sambista Beth Carvalho, também convidada da Brahma, não gostou do que viu e, principalmente, do que ouviu. "É um absurdo. Aqui é o lugar do samba", afirmou, sobre o domínio do funk. "Quem tava ali não é do samba. Tem lugar para todo mundo, cada um vai onde quer", declarou Zeca Pagodinho, às 5h30 da manhã. Após o último set, Marlboro jantava, feliz da vida, com duas dançarinas, no restaurante da Brahma - cheio.

Agencia Estado,

28 Fevereiro 2006 | 07h57

Mais conteúdo sobre:
carnaval carnaval 2006

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.