Fura-fila estreita 4 km de calçadas

Parte do passeio vai dar lugar a faixas para automóveis; lojistas já registram queda de movimento de até 100%

Marcela Spinosa, O Estadao de S.Paulo

09 Outubro 2008 | 00h00

A construção do trecho 3 do Expresso Tiradentes - o antigo Fura-Fila - na Avenida Professor Luís Inácio de Anhaia Melo, na zona leste, vai reduzir em até 50% a largura de calçadas em um trecho total de 4 quilômetros, onde estão cerca de 150 lojas. Parte do passeio desaparecerá para dar lugar a faixas para veículos. Lojistas protestam contra o atraso da obra e apontam queda do movimento de até 100%, por causa do difícil acesso ao comércio. As duas faixas da esquerda, nos dois sentidos, e o canteiro central serão substituídos pelo corredor de ônibus. Esse trecho da obra terá 2,8 km. Em alguns pontos, como na altura do número 1.472, na frente da loja de decoração Arte Cozinhas, a calçada ficará com menos de 1 metro de largura, mas o mínimo estabelecido por lei é de 1,2 metro. "Ficaremos com 0,97 m de calçada", reclama o gerente Cícero Satero. O movimento, segundo ele, caiu 50%. "Acham que a loja está fechada." O gerente da revendedora de veículos Bruno Motors, Vinícius Marcos, também reclama dos prejuízos. "Acabou com a gente. Não temos mais clientes de porta porque não tem onde parar." A calçada na frente tem cerca de 8 metros - e foram retirados 4 metros. "É ruim porque era o estacionamento. Vamos deixar um espaço na revendedora para parar." Para as vendas não despencarem ainda mais, o comerciante passou a investir em anúncios em jornais, revistas e internet. Os lojistas ressaltam que não são contra a obra, mas reclamam do atraso. Quando o trecho estiver concluído - e com a chegada da Estação Vila Prudente do Metrô, em 2010 -, acreditam até no aumento das vendas. "Mas o cronograma é falho", diz Raimar Wittmann, gerente da revendedora de veículos Play Auto. "Em vez de construir a pista para carros por etapas, quebraram praticamente toda a avenida e largaram. Deveriam ter feito em blocos, como na Avenida Paulista." Segundo os lojistas, as calçadas foram esburacadas em maio e junho, com a promessa de conclusão em um mês. Passados três meses, só as guias foram feitas em alguns pontos. Os pedestres reclamam. "É horrível. Até dá para entender que querem melhorar o trânsito, mas está demorado", queixou-se a estudante Juliana da Silva, de 17 anos. A nova previsão é de que a faixa para carros e as novas calçadas estejam prontas no fim do mês. O trecho 3 estava previsto para ser entregue em maio. A construção desse trecho começou em 2006 e, com 2,8 km, terá duas paradas. A queda de uma viga de 800 toneladas sobre o Viaduto Grande São Paulo atrasou a obra. A reportagem procurou a São Paulo Transportes, responsável pela obra, em busca de detalhes técnicos, mas, até as 23 horas de ontem, não obteve retorno. A OBRA O Expresso Tiradentes terá 31,8 km e ligará o Parque D. Pedro II à Cidade Tiradentes. Iniciadas em 1998, com investimentos que já somam R$ 600 milhões, as obras devem acabar em 2009. O Tribunal de Contas do Município suspendeu há duas semanas a concorrência para o trecho 5, de 9 km, que servirá São Mateus, José Bonifácio, Iguatemi e São Rafael.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.