Garoto é acusado de estrangular e esquartejar amigo de 12 anos

Derrota em um jogo de computador teria sido o motivo do desentendimento que acabou em morte

Rafael Carvalho, especial para o Estadão

24 Julho 2007 | 18h48

A derrota em um jogo de computador. Segundo a polícia este foi o motivo que levou um adolescente de 16 anos a estrangular e depois esquartejar o vizinho, de apenas 12 anos. O crime aconteceu na tarde de segunda-feira em Blumenau, a 130 Km de Florianópolis. O enterro foi na tarde desta terça-feira, 24, sob fortes protestos dos pais e amigos do garoto.   A delegada Rosi Serafim, que acompanha o caso, declarou que o suspeito confessou o crime em depoimento. O rapaz disse que após uma discussão sobre o jogo, ele começou a estrangular Gabriel. Ao ver o menino desacordado, se apavorou e tentou esconder o corpo no sótão de sua casa.   Para isso, teria amarrado um fio ao corpo do menino para suspendê-lo, mas não teve forças. Foi aí que teve a idéia de cortar as pernas do garoto para diminuir seu peso. Para isso usou uma faca e ao chegar no fêmur, segundo a delegada, o garoto teria usado uma pequena serra.   O pai do menino Gabriel, Adelar Kuhn, de 42 anos, não se conforma com a violência do ato, chegando a ter dúvidas sobre o assassino: "Ele sempre vinha aqui em casa brincar com meus filhos e outros amiguinhos. A gente fica até na dúvida se foi ele mesmo", desabafou. O Ministério Público solicitou a internação provisória do acusado, prontamente acatada pela justiça.

Mais conteúdo sobre:
violência

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.