Goleiro Bruno desmaia pela 2ª vez; exames apontam quadro de sinusite leve

Ex-atleta estava em audiência do caso de desaparecimento de Elisa Samudio quando passou mal

Eduardo Kattah / BELO HORIZONTE, O Estado de S.Paulo

06 Outubro 2010 | 18h20

O ex-goleiro do Flamengo, Bruno Fernandes, desmaiou pela segunda vez nesta quarta-feira, 6, logo após ser liberado de uma policlínica para onde foi levado mais cedo, depois de ter passado mal durante a audiência do caso do desaparecimento de Eliza Samudio, no Fórum de Ribeirão das Neves, na região metropolitana de Belo Horizonte. Ele foi encaminhado para o Hospital de Pronto Socorro (HPS) João XXIII, onde passou por exames clínicos, de tomografia e um eletrocardiograma. A Fundação Hospitalar do Estado (Fhemig) informou que os resultados dos exames estavam dentro da normalidade e foi detectado apenas um quadro de sinusite moderada.

 

Pela manhã, Bruno e outros oito réus se preparavam para acompanhar o depoimento de 21 testemunhas, quando o ex-atleta sentiu-se mal, desmaiou e vomitou na sala de audiência. Ele foi socorrido inicialmente pelo advogado Ércio Quaresma e pelo amigo e também réu Luiz Henrique Romão, o Macarrão. Bruno deixou o local em uma maca.

 

Após o desmaio, a juíza Lucimeire Rocha, da 3ª vara criminal, autorizou o retorno de Bruno para a prisão. De acordo com o Tribunal de Justiça, os réus acompanhavam os depoimentos por orientação dos advogados. Das 21 testemunhas, duas foram arroladas pela acusação, três pela acusação e pela defesa e 16 somente pela defesa.

 

Quaresma chegou a pedir que a audiência fosse interrompida, mas as oitivas foram mantidas. A juíza, porém, determinou que prestariam depoimento somente cinco testemunhas e um novo interrogatório será marcada. O advogado vem sendo contestado por parentes do ex-goleiro. Um irmão de Dayanne Rodrigues do Carmo Souza, ex-mulher de Bruno, registrou boletim de ocorrência contra Quaresma, alegando ter sido vítima de ofensas racistas. O advogado negou.

 

Depressão. Desde quando foi preso, em julho, Bruno recorrentemente tem passado mal e sofridos desmaios. A Superintendência de Administração Prisional (Suapi) da Secretaria de Estado de Defesa Social (Seds) atribuiu os episódios a um quadro de depressão. O ex-goleiro vem sendo acompanhado por psicólogos. Somente na semana passada, médicos do sistema penitenciário mineiro precisaram averiguar, em três oportunidades, boatos de que o ex-atleta havia se suicidado na cela, da Penitenciária Nelson Hungria, em Contagem, onde cumpre prisão preventiva.

 

Crimes. Bruno, Dayanne, Macarrão, Fernanda Gomes de Castro - amante do ex-goleiro -, Elenílson Vitor da Silva, Sérgio Rosa Sales, Flávio Caetano de Araújo e Wemerson Marques de Souza, o Coxinha, respondem por homicídio qualificado, sequestro e cárcere privado, formação de quadrilha, ocultação de cadáver e corrupção de menores. Já o ex-policial civil Marcos Aparecido dos Santos, o Bola, responde por homicídio qualificado, formação de quadrilha e ocultação de cadáver.

 

Eliza está desaparecida desde o início de junho. Embora o corpo da jovem não tenha sido encontrado, o inquérito policial concluiu que ela foi assassinada por causa da cobrança do reconhecimento da paternidade de um bebê, que seria fruto do relacionamento com Bruno.

Mais conteúdo sobre:
caso Bruno

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.