Governo do Estado do Rio corta ponto de professores em greve

Docentes da rede estadual e municipal iniciaram paralisação conjunta; nesta terça, o ministro do STF determinou a suspensão de acordo que resultou na suspensão do movimento

Clarissa Thomé, O Estado de S. Paulo

14 Maio 2014 | 19h04

RIO - O governo do Estado do Rio vai cortar o ponto dos professores grevistas. A medida passa a valer a partir desta quarta-feira, 14. Os docentes da rede estadual e municipal do Rio iniciaram greve conjunta nesta segunda-feira, 12, pouco mais de seis meses depois da última paralisação, que durou 70 dias. A prefeitura não informou se também aplicará sanções aos grevistas.

O ministro Luiz Fux, do Supremo Tribunal Federal, considerou abusiva a greve dos professores da rede pública do Rio e determinou, na tarde desta terça-feira, a suspensão do acordo firmado no ano passado e que resultou na suspensão da greve.

Em nota, o Sindicato Estadual dos Profissionais do Ensino informa que a pauta de reivindicação é outra, e não tem relação com a greve do ano passado. "Anualmente todas as categorias profissionais aproveitam sua data-base para pleitear melhorias econômicas e sociais. Nesse contexto, o movimento grevista de 2014 é inteiramente autônomo em relação ao deflagrado em 2013, eis que atende uma pauta própria numa outra conjuntura política, razão pela qual representa um equívoco a decisão de suspensão do acordo."

A categoria pede 20% de reajuste, destinação de um terço da carga horária para o planejamento de aulas e a redução da carga horária de 40 para 30 horas semanais de profissionais administrativos. Os professores marcaram uma assembleia para a manhã desta quinta-feira e devem sair em passeata após o encontro.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.