Hebe exalta petista e constrange José Serra

Na gravação de seu novo programa, apresentadora abusa dos elogios à Dilma, e Serra, na plateia, deixa o estúdio da Rede TV! antes do término

Cristina Padiglione e Daiene Cardoso, O Estado de S.Paulo

03 Março 2011 | 00h00

Na gravação de sua estreia na RedeTV!, anteontem, em um dos estúdios da emissora em Osasco (SP), a apresentadora Hebe Camargo dedicou o programa, que vai ao ar no dia 15 deste mês, à presidente Dilma Rousseff e causou constrangimentos aos tucanos ilustres que estavam entre os convidados, entre eles o ex-governador de São Paulo José Serra (PSDB).

Hebe exibirá uma entrevista de 50 minutos com Dilma feita em Brasília. Durante uma hora e 30 minutos de gravação do programa anteontem, a apresentadora elogiou a presidente e se disse "impressionada" com ela.

Em uma plateia de 600 convidados, em traje black tie, cantores, políticos, humoristas, cirurgiões plásticos e apresentadores de TV ocupavam mesas vizinhas, fazendo a alegria da apresentadora. "Você veio?", perguntava Hebe, do palco, mirando o público. "Olha ali o Zé Dirceu, perto do Serra e do governador, pode aplaudir, gente!" O governador Geraldo Alckmin (PSDB) e Serra chegaram juntos, acompanhados das respectivas mulheres, dona Lu e Monica Serra. José Dirceu, ex-ministro da Casa Civil, foi com a namorada, Evanise Santos. Ao Estado, após a gravação, ele, que é réu no processo do mensalão, concordou que ficou surpreso com a atitude de Hebe: "Ela foi muito generosa". Ao contar à plateia que foi a Brasília entrevistar Dilma, Hebe disse que esperava encontrar uma "pessoa brava, durona, não foi nada do que eu pensei, ela foi um amor". "Ela é uma gracinha!", afirmou Hebe, em seu bordão.

Se Dirceu gostou dos elogios a Dilma, o ex-governador de São Paulo preferiu não acompanhar toda a gravação. Na metade do programa, Serra, derrotado por Dilma no ano passado, levantou-se, deixou a mulher Mônica à mesa que ocupava, cumprimentou o ex-ministro e foi embora. "Ele tinha um jantar com um governador de outro Estado no Fasano e não conseguiu desmarcar", justificou, ao Estado, a ex-primeira-dama.

Já o atual governador de São Paulo manteve-se firme. Em meio a declarações de Hebe sobre a presidente, a cada bloco o programa mostrava um pequeno trecho da entrevista. A exibição da íntegra da conversa só será conhecida no dia 15. quando a estreia vai ao ar.

Questionada sobre seu "deslumbramento", Hebe negou que tenha feito uma homenagem a ela. "Quem recebeu homenagem fui eu."

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.