Hillary destaca que Brasil pode ser 4ª economia do mundo

Em meio a crises no mundo árabe e o terremoto no Japão, o governo americano quer aproveitar a visita de Barack Obama ao Brasil para intensificar as relações com a América Latina, que passou a ser vista como uma ilha de estabilidade e exemplo para regiões instáveis do mundo. Segundo a secretária de Estado, Hillary Clinton, Obama, na viagem, deverá anunciar novas oportunidades econômicas, "formas para trabalharmos juntos na área energética, em inovação e educação". Em um discurso de cerca de 30 minutos no Centro de Estudos Estratégicos Internacionais (CSIS, na sigla em inglês) em Washington, a chefe da diplomacia dos EUA destacou a importância do Brasil para a economia americana.

Gustavo Chacra, O Estado de S.Paulo

19 Março 2011 | 00h00

"O Brasil deve se tornar um dos nossos maiores fornecedores de petróleo. Pretendemos atuar na prospecção. Também já trabalhamos juntos com energias renováveis", disse. Hillary acrescentou que o Brasil deve se tornar a quarta economia do mundo na próxima década. Ressaltou que as exportações dos EUA para a América Latina são três vezes maiores do que para a China. Os jornais americanos, como o New York Times, descreveram o esforço dos dois lados para melhorar a relação diplomática, após estremecimentos com divergências sobre o Irã.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.