Homem admite ter derrubado paredes em prédio que caiu

Pedreiro diz que pilares foram mantidos de pé, mas que não teve orientação de engenheiro depois do início das obras, há 4 semanas

Bruno Boghossian , Estadão.com.br

27 Janeiro 2012 | 10h58

Um ajudante de obras que trabalhava no 9º andar do Edifício Liberdade, que desabou na noite de quarta-feira no centro do Rio, confirmou ter derrubado quatro paredes de um ambiente nas últimas semanas. Engenheiros afirmam que danos estruturais podem ter causado o desmoronamento.

 

O pedreiro Alexandro da Silva Fonseca disse que os pilares e as estruturas de concreto do andar foram mantidos de pé, mas afirmou que paredes de tijolos foram retiradas para a realocação de um banheiro. Ele relatou que não teve contato com nenhum engenheiro responsável pela obra desde que os trabalhos começaram, há cerca de duas semanas. Ele vai prestar depoimento à Polícia Civil nesta sexta-feira.

 

Segundo a Secretaria de Assistência Social do município, já foram encontrados sete corpos nos escombros dos três prédios que desabaram no centro do Rio. Ainda há 20 desaparecidos.

Mais conteúdo sobre:
desabamento, RJ

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.