1. Usuário
Assine o Estadão
assine

Homem sequestra ônibus e mantém duas pessoas reféns no Rio

O Estado de S.Paulo

10 Maio 2014 | 18h 11

Sequestrador ameaça jovem de 18 anos com uma faca; policiais tentam negociar rendição

Atualizada às 19h06.

RIO - Um homem armado mantém duas pessoas reféns dentro de um ônibus municipal na Avenida Brasil, no Rio de Janeiro. O ônibus foi sequestrado por volta das 17h deste sábado, 10, após uma tentativa de assalto. O veículo foi interceptado pela polícia, quando o sequestrador fez o motorista e uma passageira reféns. O Batalhão de Operações Especiais (BOPE) está no local.

O sequestrador está com uma faca apontada para o pescoço da mulher, uma jovem de 18 anos chamada Rafaela, segundo informações da Globonews. O ônibus está parado atravessado na pista, na altura do bairro de Guadalupe, na zona norte.

As negociações estão sendo conduzidas por um sargento do Bope. O ônibus também está cercado por policiais do batalhão, posicionados ao lado das portas e dos pneus do veículo, prontos para uma eventual ação contra o sequestrador. O veículo está numa via marginal, cercado por 14 viaturas da Polícia Militar e também viatura do Corpo de Bombeiros.

Segundo informações da Polícia Militar, o sequestrador entrou no ônibus e pouco depois pediu ao motorista que parasse o veículo. Em seguida, ordenou que todos os passageiros descessem, restando apenas o motorista, o cobrador e a jovem.

O sequestrador já teria entregue aos policiais a sua carteira de identidade, mas o seu nome ainda não foi revelado.

Há suspeita de que o sequestrador seja usuário de crack e esteja sob efeito de drogas. Ele teria exigido a presença da sua família no local. Ele seria morador do Morro do Chapadão, no bairro de Marechal Hermes, na zona norte.

Parte da Avenida Brasil está interditada em função do sequestro. O veículo da linha 723 fazia o percurso entre Mariópolis e Cascadura, bairros da zona norte do Rio. O trânsito no local é lento e a Prefeitura do Rio pede que os motoristas evitem a região.

Ônibus 174. O caso é semelhante ao sequestro do Ônibus 174, ocorrido em 2000 no Jardim Botânico, na zona sul. Na época, Sandro do Nascimento anunciou um assalto às 14h30 e passou toda a tarde com 10 pessoas sob sua custódia, ameaçando matar os reféns. O criminoso era sobrevivente da chacina da Candelária, em 1992. O ônibus foi cercado por policiais e o sequestro, transmitido ao vivo para todo o País.

Após uma longa negociação, por volta das 19h o sequestrador liberou a maior parte dos passageiros.O sequestrador manteve apenas a professora Geisa Firmo Gonçalves, de 20 anos, como escudo humano. Quando ele se preparava para entregar a refém e a arma, um policial do Bope atirou a pouca distancia e acabou matando a professora. O sequestrador foi rendido e morto minutos depois dentro da viatura da Polícia.