Evilázio Bezerra/O Povo
Evilázio Bezerra/O Povo

IML identifica 16 dos 18 mortos em acidente de ônibus no CE

Outros dois corpos serão submetidos a exame de DNA; Detran do Estado abriu inquérito para apurar causas do tombamento

Carmem Pompeu, Especial para o Estado

19 Maio 2014 | 16h07

FORTALEZA - Dezesseis dos 18 mortos no acidente envolvendo o ônibus da empresa Princesa dos Inhamuns, neste domingo, 18, no km 303 da BR-020, em Canindé (CE), foram identificadas. De acordo com o Instituto Médico-Legal (IML) de Fortaleza, os outros dois corpos serão submetidos a exame de DNA.

A lista dos passageiros que estavam no veículo no momento do acidente foi divulgada nesta segunda-feira, 19, pela Polícia Rodoviária Federal (PRF). O boletim aponta 18 mortos e 21 feridos.

De acordo com a PRF, muitos passageiros estavam sem cinto e foram arremessadas para fora, sendo esmagados depois que ônibus virou. De acordo com o órgão, havia incompatibilidade entre o número de pessoas inicialmente informado pelo motorista Francisco das Chagas Pereira Costa, a lista de passageiros entregue pela empresa e o nome das vítimas divulgado no local. Além disso, alguns passageiros haviam descido no município de Madalena, pouco antes do acidente acontecer.

"Na identificação das vítimas constam apenas os nomes daquelas já consolidadas como mortas ou feridas. Seis pessoas não constavam na lista, embora estivessem no ônibus, por isso parece que as contas não fecham", disse o boletim divulgado pela PRF.

O Departamento Estadual de Trânsito do Ceará (Detran-CE) abriu inquérito para apurar as causas do acidente. Segundo o Detran, o ônibus tinha quatro anos de fabricação e estava regularmente cadastrado, com laudo técnico de vistoria realizado em 26 de fevereiro deste ano.

Investigação. O Detran vai avaliar informações do tacógrafo, sistema de GPS, cumprimento das escalas dos motoristas, o Boletim de Acidente de Trânsito da Polícia Rodoviária Federal, bem como o laudo em elaboração pela Perícia Forense do Estado do Ceará. De acordo com informações da delegada Giselle Martins, titular da Delegacia Regional de Canindé, o motorista disse, em depoimento neste domingo, que um motoqueiro surgiu de repente na sua frente. Ao tentar desviar da motocicleta, ele freou bruscamente o ônibus, que acabou tombando fora da pista.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.