Internado, atropelador de ciclistas tem segurança reforçada no RS

Relatório médico aponta possibilidade de suicídio; bancário vai para presídio quando tiver alta

Solange Spigliatti, Central de Notícias

02 Março 2011 | 15h44

SÃO PAULO - A polícia do Rio Grande do Sul reforçou a segurança no Hospital Parque Belém, clínica psiquiátrica em que o bancário Ricardo Neis, acusado de ter atropelado e ferido pelo menos 12 ciclistas em Porto Alegre, foi internado ontem.

 

Veja também:

linkAcusado tem histórico de multas e processos

video Vídeo é destaque em jornais do mundo

 

Segundo o delegado Rodrigo Pohlmann Garcia, a medida foi tomada após um relatório do médico que atende o acusado. "Ele sentiu que haveria a possibilidade de Ricardo cometer suicídio, após conversa que teve com o paciente, durante uma análise psiquiátrica", explica.

 

Os policiais que fazem a custódia policial no hospital estão de prontidão e nunca deixam Neis sozinho. "A polícia está se resguardando dessa possibilidade", diz o delegado. Para isso estão sendo retirados elementos do quarto e do banheiro onde está Neis, até que seu quadro clínico se modifique, explica o delegado.

 

De acordo com a polícia, o acusado deve ser transferido para o Presídio Central da capital gaúcha após alta médica do psiquiatra. De acordo com o delegado, ainda não há previsão para a liberação médica.

 

O bancário deve ser indiciado por tentativa de homicídio doloso duplamente qualificado, por motivo fútil e redução de chances de defesa das vítimas. O atropelamento ocorreu no início da noite de sexta-feira,25, no bairro Cidade Baixa.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.