1. Usuário
Assine o Estadão
assine

Irmão deve substituir Menor P no comando da Maré, afirmam militares

Marcelo Gomes e Thaise Constancio - O Estado de S. Paulo

28 Março 2014 | 10h 14

Fabiano Santos de Jesus, o Zangado pode assumir a chefia das bocas em 11 das 16 favelas do complexo, na zona norte; autoridades temem que troca motive enfrentamento às tropas que ocuparão a área

RIO - A prisão do traficante Marcelo Santos das Dores, de 32 anos, conhecido como Menor P, efetuada pela Polícia Federal (PF) na noite de quarta-feira, 26, deve resultar em mudanças no planejamento do Exército para a ocupação do Complexo da Maré pelas tropas federais. Militares ouvidos pelo Estado dizem que o lugar de Menor P na hierarquia do Terceiro Comando Puro (TCP) deve ser ocupado pelo irmão por parte de mãe, Fabiano Santos de Jesus, o Zangado. O problema é que Zangado é considerado "inconsequente", e pode querer buscar o enfrentamento com as tropas. Outro cotado para assumir o posto é Josias dos Santos Silva, o Drogadão, um dos seguranças particulares de Menor P.

O TCP controla o tráfico de drogas em 11 das 16 favelas da Maré. Após a ocupação, as forças de segurança permanecerão no conjunto de favelas até a instalação de Unidades de Polícia Pacificadora (UPPs) no segundo semestre deste ano. Será a primeira ocupação de favelas dominadas pelo TCP. Até então, as UPPs haviam sido instaladas apenas em favelas controladas pela milícia e pelas facções Comando Vermelho (CV) e Amigos dos Amigos (ADA).

Prisão. Contra Menor P, que era investigado por crimes como homicídios, tráfico de drogas, associação para o tráfico, e lesão corporal, havia oito mandados de prisão. Quando foi preso pelos agentes da Delegacia de Repressão a Entorpecentes (DRE) da PF, ele estava sozinho em uma cobertura duplex de luxo. Em uma ação cinematográfica, os policiais cercaram o edifício e invadiram o apartamento, que tinha um deque com piscina, onde foram encontrados cerca de R$ 4 mil em espécie. Desarmado, ele não reagiu.

"Depois que fomos comunicados sobre a ocupação do Complexo da Maré, intensificamos o trabalho de campo e dos órgãos de inteligência da PF no provável local de fuga dele. Em reuniões, a Secretaria de Segurança, o Exército e outros órgãos demonstraram grande preocupação com a presença dele na área", disse o responsável pelo caso, delegado-chefe da DRE Fábio Andrade.

"Ele é uma pessoa extremamente vaidosa. Perguntei se ele era o chefe da facção e ele disse que é o dono do Complexo da Maré", acrescentou.

O secretário de Segurança do Rio, José Mariano Beltrame, e o superintendente regional da PF no Rio, delegado Roberto Cordeiro, solicitarão a transferência do traficante da penitenciária Bangu 1, na zona oeste do Rio, para um presídio federal de segurança máxima fora do Estado.

O advogado Nilson Lopes, no entanto, pedirá que a pena seja cumprida no Rio. "A família dele está arrasada. Mas será provado na Justiça que a maioria das coisas que dizem sobre ele são falácias, exageros". Ex-militar do Exército, o traficante usava técnicas aprendidas no paraquedismo para treinar seus subordinados e recrutar novos soldados do tráfico.