Itaipu sofreu 'desligamento total', informa ministro Lobão

Ministro de Minas e Energia aponta 'problemas atmosféricos' como causa para blecaute nacional

estadao.com.br,

11 Novembro 2009 | 00h01

Imagem do apagão da noite desta terça-feira em São Paulo. Foto: Juca Varela/AE

 

 

SÃO PAULO -  O ministro de Minas e Energia, Edison Lobão, informou que houve um 'desligamento' total da Usina de Itaipu na noite desta terça-feira. A queda teria provoado um efeito cascata em outras linhas do Sistema Integrado Nacional. O ministro afirmou que 14 mil megawatts foram desligados, possivelmente por causas atmosféricas, e consequentemente outras linhas de energia foram afetadas. O apagão atingiu 12 Estados mais o Distrito Federal. O ministro afirmou que a operação da usina de Itaipu foi retomado. "A usina de Itaipu já foi reenergizada, portanto já está em condições de fornecer os 14 mil megawatts de energia para o sistema. Resta saber ainda como se encontram as linhas de transmissão", disse o ministro. Ele levantou a possibilidade de que raios possam ter provocado a falha nas linhas de transmissão.

 

O diretor-geral da Usina Elétrica de Itaipu, Jorge Samek, afirmou que duas linhas de transmissão de 765 mil volts que não estavam funcionando já foram reparadas, conforme informações da 'Rádio CBN'. Ainda de acordo com Samek, 'não há dúvidas de que o apagão foi causado por queda em linhas de transmissão de energia e que a situação em todo o país deve melhorar nos próximos minutos'.

 

Veja também:

som Ouça: Ministro Edison Lobão diz que 'prioridade é reestabelecer o sistema'

Apagão atinge oito Estados e DF: capital ainda sem luz

Energia começa a ser reestabelecida em São Paulo

Excesso de ligações deixam celulares sem funcionar

Apagão migra discussão para a web

Blecaute causa tumulto em metrô

Paulistanos ficam sem metrô e trens da CPTM

 

Além de Itaipu, a maior hidrelétrica do País, o ministro informou que algumas linhas que são fornecidas por Furnas também foram afetadas. Lobão também disse que o Estado do Rio de Janeiro foi o mais afetado e que o apagão também atingiu o Paraguai.

 

Segundo o assessor da diretoria-geral do Paraguai em Itaipu, Hector Richer Bécker, um problema em um dos dois sistemas de transmissão da estatal Furnas que trazem a energia da hidrelétrica binacional de Itaipu ao Brasil provocou o desligamento automático das turbinas da usina, o que resultou no apagão. "Quando as linhas de transmissão são desligadas, a usina tem um mecanismo automático que desliga as turbinas para problemas nos equipamentos", disse o assessor.

 

Segundo Bécker, o desligamento das turbinas de Itaipu, o que significou a redução da geração de energia em 14 mil MW, também afetou o abastecimento de energia ao Paraguai. O assessor contou, porém, que o suprimento foi rapidamente retomado no país vizinho, o que evidenciaria um problema no sistema de transmissão no Brasil. "A usina de Itaipu está pronta para voltar ao sistema, mas só não retornou porque não se consegue ligar os sistemas de transmissão no Brasil", afirmou.

 

O assessor de Itaipu no lado paraguaio comentou que, até o momento, os técnicos não sabem a origem do problema de transmissão. "O fato é que não houve nenhum problema em Itaipu e a usina está pronta para entrar em operação novamente", disse Bécker. Hoje, a usina atende a demanda de 20% do mercado de energia do Brasil.

 

Foz do Iguaçu

 

A região de Foz do Iguaçu, no Paraná, não ficou sem energia. O desligamento das 20 turbinas da Hidrelétrica da Itaipu, às 22h13 desta terça-feira, 10, se deu em razão de problemas na transmissão e não na produção. Por motivo de segurança, quando a transmissão falha, a produção é paralisada.

Pelo menos 85% do Paraguai dependem na energia vinda de Itaipu. Quinze minutos após o início do apagão, o Paraguai já estava com a distribuição de energia restabelecida. À 0h20, duas das 20 turbinas de Itaipu já funcionavam normalmente.

 

(Colaborou Daniela do Canto e Wellington Otto Bahnemann)

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.