Jefferson liga seu destino no processo ao de Dirceu

O ex-deputado Roberto Jefferson (PTB-RJ), um dos 36 indiciados do processo do mensalão, publicou ontem em seu blog que seu destino e o do ex-ministro José Dirceu, no caso, estão diretamente ligados. "Eu e Dirceu somos irmãos siameses, o que der pra ele vai dar pra mim", disse na entrevista, que foi antes divulgada no site do jornal O Globo.

, O Estado de S.Paulo

09 Julho 2011 | 00h00

Jefferson, que foi o autor da denúncia contra o PT, em 2005, avaliou como "correta" a decisão do procurador-geral de excluir o ex-ministro Luiz Gushiken da lista de indiciados.

Essa lista "tem mais gente culpada do que inocentes", acrescentou o presidente do PTB, recusando-se a nomear uns e outros. "Não vou citar nomes. Quem vai decidir isso é o plenário do STF."

Crime eleitoral. Na opinião do ex-deputado, o que ele praticou naquela época foi crime eleitoral: "Admito o delito de caixa dois, mas não fiz mensalão. Não aluguei minha bancada, mensalão eu não deixei entrar no meu partido." Ele promete rebelar-se, porém, se for envolvido em corrupção e lavagem de dinheiro: "Contra mim essa denúncia é injusta." Sobre a avaliação do ex-presidente Lula de que o mensalão foi uma farsa, disse que ele vai ter que discutir com a Procuradoria. "Lula é um animal político, mas não é um advogado ou procurador. Será a palavra dele contra a da procuradoria."

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.