Jornalista acusa coordenador de Dilma

Jornalista acusa coordenador de Dilma

Em depoimento à Polícia Federal, Amaury Ribeiro Jr. afirmou que Rui Falcão 'copiou' o conteúdo de sua investigação contra os tucanos, então armazenado num computador pessoal que estava num flat pago pelo próprio PT para ele se hospedar em Brasília

Vannildo Mendes / BRASÍLIA, O Estado de S.Paulo

22 Outubro 2010 | 00h00

Integrante do comando da campanha da petista Dilma Rousseff, o deputado estadual Rui Falcão (PT-SP) foi acusado pelo jornalista Amaury Ribeiro Jr. de furtar o dossiê com dados fiscais violados de tucanos e familiares do presidenciável José Serra. Amaury foi quem encomendou e pagou diretamente pela violação de sigilo.

Segundo Amaury, em depoimento à Polícia Federal, Rui Falcão "copiou" o conteúdo de sua investigação contra os tucanos, então armazenado num computador pessoal que estava num flat pago pelo próprio PT para Amaury ficar em Brasília. "Pois somente ele (Rui Falcão) tinha a chave do citado apartamento", disse o jornalista. As quebras de sigilo realizadas na Receita Federal ocorreram em outubro do ano passado. Nesse período, Amaury preparava sua saída do jornal Estado de Minas, alegando problemas pessoais.  

 

Veja também:

linkMPF: Investigação de quebra de sigilo não terminou

linkEm nota, PSDB diz que jornalista não acusou Aécio

linkCampanha de Dilma culpa Aécio por violação

linkGuerra: PT tenta dividir partido em caso de sigilo

linkPF confirma dossiê, mas nega elo com eleição

som Gilmar Mendes comenta a quebra de sigilo

Em abril deste ano, o jornalista foi convidado pelo empresário Luiz Lanzetta para trabalhar na pré-campanha de Dilma. Lanzetta cuidava, então, de montar um "núcleo de inteligência" dentro da campanha petista. Na passagem pela capital, Amaury hospedou-se em um flat no apart-hotel Meliá.

Bunker. Na descrição que deu à polícia, o imóvel pertence a um homem identificado apenas como "Jorge", que segundo Amaury lhe foi apresentado como "responsável pela administração dos gastos da casa do Lago Sul", bunker da campanha de Dilma.

Já em negociação com o grupo petista, Amaury levou para o apartamento um laptop com suas "apurações" - na verdade os documentos fiscais sigilosos da filha e do genro de Serra e de líderes do PSDB.

Na pré-campanha de Dilma, Rui Falcão era um dos mais atuantes articuladores, e àquela altura disputava com o ex-prefeito de Belo Horizonte Fernando Pimentel o comando da comunicação do partido.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.