Jornalistas da TV Globo têm passaportes retidos na Indonésia

Profissionais estavam tentando chegar ao local onde o brasileiro Marco Acher e outras cinco pessoas seriam executadas

Tânia Monteiro e João Villaverde, O Estado de S. Paulo

17 Janeiro 2015 | 17h12

BRASÍLIA - O repórter da TV Globo, Márcio Gomes, e um cinegrafista da mesma empresa, tiveram seus passaportes apreendidos pelas autoridades da Indonésia, segundo informações do Itamaraty.

Os jornalistas estavam em Cilape, no local onde balsas saem para a ilha de Nusakambangan - local o brasileiro Marco Archer Cardoso Moreira e outras cinco pessoas foram executadas neste sábado, 17, condenados por tráfico de drogas.

"Os diplomatas em Jacarta estão negociando a normalização da situação", informou o Itamaraty. O Ministério das Relações Exteriores não soube informar se os profissionais poderão continuar trabalhando após receberem de volta seus passaportes. "Depende do que as autoridades indonésias vão determinar", informou o Ministério.

Os jornalistas brasileiros foram abordados quando faziam filmagens no porto, sob a justificativa de que se tratava de uma área restrita.

A execução do brasileiro Marco Archer e outras cinco pessoas estava prevista para ocorrer entre a meia-noite de hoje e 1h hora da manhã de domingo, hora da Indonésia, entre 15h e 16h, horário de Brasília.

Mais conteúdo sobre:
Indonésia

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.