Estadão - Portal do Estado de S. Paulo

Brasil

Brasil » Jovem morre após ter sido agredido com mangueira de ar comprimido

Brasil

Jovem morre após ter sido agredido com mangueira de ar comprimido

Equipamento foi acionado na direção do ânus do adolescente, de 17 anos, causando complicações no sistema digestivo

0

Lucia Morel ,
Especial para O Estado

17 Fevereiro 2017 | 16h37

CAMPO GRANDE - Onze dias depois de ser internado, o adolescente Wesner Moreira da Silva, de 17 anos, morreu por complicações em seu sistema digestivo decorrentes do acionamento de uma mangueira de ar comprimido no ânus do rapaz. 

O caso aconteceu em Campo Grande em 3 de fevereiro. Wesner morreu na terça-feira, 14. Thiago Giovanni Demarco Sena, de 26 anos, e Willian Henrique Larrea, de 30, autores do crime, dizem que houve uma “brincadeira” entre eles e o adolescente no lava-jato onde Wesner trabalhava e cujo dono é Sena. 

Wesner vomitou, defecou e desmaiou, momento em que os autores o levaram para o posto de saúde, de onde foi encaminhado para a Santa Casa. Ambos tiveram pedido de prisão preventiva decretado no dia da morte do adolescente, mas ainda não estão presos. 

O juiz Marcelo Ivo de Oliveira, da 7ª Vara Criminal de Campo Grande encaminhou o pedido para o Tribunal do Júri.O caso foi tratado pela Polícia Civil como lesão grave seguida de morte, mas o entendimento do magistrado é de que ambos cometeram homicídio doloso. 

Para Marcelo Ivo, “além do ato praticado pelos indiciados ser revestido de uma imbecilidade oceânica, não há como alegarem que o ato por eles praticado não poderia causar a morte de uma pessoa”, enfatizou.

No mesmo despacho, o juiz sustentou ainda que “assim, quando alguém direciona uma mangueira de ar comprimido contra o corpo de outrem, pode até dizer que não se está tentando matar o outro, mas qualquer pessoa minimamente sana sabe que injetar uma mangueira de ar comprimido em alguém, provavelmente causará a sua morte ou, ao menos, sérias lesões”. 

 

Mais conteúdo sobre:

Encontrou algum erro? Entre em contato

0 Comentários

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.