Juiz decreta prisão de PMs envolvidos em mortes de jovem em Belo Horizonte

Policiais são acusados de matarem adolescente inocente que, segundo corporação, seria criminoso

Solange Spigliatti, Central de Notícias

01 Março 2011 | 14h04

SÃO PAULO - A Justiça de Minas decretou na segunda-feira a prisão temporária de dois policiais militares envolvidos na morte do dançarino Jeferson Coelho da Silva, de 17 anos, e de seu tio, o auxiliar de enfermagem Renilson Veriano da Silva, de 39, em Aglomerado da Serra, na região centro-sul de Belo Horizonte, no último dia 19 de fevereiro.

 

A prisão temporária, válida por 30 dias, foi decretada pelo juiz do 1º Tribunal do Júri da capital mineira, Guilherme Queiroz Lacerda, aos policiais militares, J.D.R. e J.F.P.. O pedido de prisão temporária foi feito pelo delegado que preside o inquérito e teve parecer favorável do Ministério Público.

 

O magistrado considerou que, além dos indícios de envolvimento "em grave delito de homicídio qualificado", a liberdade dos acusados, por enquanto, pode gerar temor para as testemunhas que estão sendo ouvidas durante a instrução do Inquérito.

 

Quatro policiais militares envolvidos na morte de Jeferson e Renilson foram presos. Um deles foi encontrado morto na última sexta-feira, 25. Eles estão em unidades da PM e ficarão detidos até o término das investigações.

 

Segundo a PM, Jeferson e Renilson estariam com um grupo de cerca de 20 pessoas, parte delas fardada, que abriu fogo contra uma guarnição na madrugada de sábado, 19. Quem vive na comunidade, porém, afirma que a versão é falsa e que as vítimas não tinham envolvimento com crimes.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.