Juiz obriga Hudson a manter distância de um quilômetro de filha e da ex-mulher

Cantor sertanejo foi preso duas vezes em março deste ano por porte ilegal de armas

José Maria Tomazela, Estadão

18 Abril 2013 | 22h10

SOROCABA - O cantor sertanejo Udson Cadorini Silva, 40 anos, da dupla Edson & Hudson, terá de manter pelo menos um quilômetro de distância de sua primeira ex-mulher e da própria filha. A medida cautelar, dada pelo juiz Rogério Danna Chaib, da 1ª Vara Criminal de Limeira, prevê prisão imediata caso a ordem seja descumprida.

A proibição se estende ao atual marido da ex-mulher e aos familiares dela. O cantor também está proibido de usar qualquer meio de comunicação para fazer contato com mãe e filha. O advogado de Hudson, Manuel dos Reis Andrade Neto, disse que vai recorrer à Justiça para inverter a ordem. Ele quer que a ex-mulher e a filha fiquem longe do cantor. "Vou pedir que a distância seja aumentada", disse.

Hudson foi preso duas vezes em março deste ano por porte ilegal de armas. Na primeira prisão, ele foi abordado por policiais militares depois de ter feito ameaças à ex-mulher, segundo a denúncia dela. Ao revistar o carro do cantor, os policiais encontraram uma pistola 380, um revólver calibre 38, uma faca de cozinha e um soco inglês.

Ele recebeu voz de prisão, mas foi solto após pagar fiança de R$ 6 mil. Em carta aos fãs, Hudson pediu desculpas, disse que era uma pessoa pacífica e se justificou: "Qual garoto não gosta de armas e carros?" À noite, o cantor voltou a ser preso depois que policiais militares encontraram outras armas, munições de uso proibido e uma porção de maconha em sua casa. Após passar a noite na prisão, Hudson seria solto mediante o pagamento de fiança de R$ 12 mil, mas a medida foi revogada pela Justiça.

O cantor passou outros dois dias preso no Centro de Detenção Provisória de Piracicaba e na Penitenciária de Tremembé.

Libertado por um habeas corpus dado pelo Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP), ele responde ao processo em liberdade. Na última segunda-feira, o juiz Chaib aceitou a denúncia do Ministério Público contra o cantor, conforme despacho publicado pelo tribunal. Hudson foi denunciado por porte ilegal de arma e munição.

De acordo com a denúncia da promotora Patrícia Barsottini, o cantor mantinha posse de "armas, acessórios e munições de uso permitido e de uso restrito, sem qualquer autorização e em desacordo com determinação legal e regulamentar." Ela destacou que o certificado de registro da carabina apreendida na casa do cantor estava com o prazo de validade vencido. As penas previstas são de 2 a 4 anos de reclusão pelo porte de arma não registrada e de 3 a 6 anos pela posse de munição de uso restrito. O advogado já entrou com a defesa prévia do cantor.

Mais conteúdo sobre:
Hudson

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.