Júri condena acusado de matar sem-terra no PR

ESPECIAL PARA O ESTADO / CURITIBA

Julio Cesar Lima, O Estado de S.Paulo

28 Julho 2011 | 00h00

Em julgamento de cerca de seis horas, o Tribunal do Júri condenou ontem a 15 anos de prisão em regime fechado Jair Fermino Borracha, acusado de matar o trabalhador rural Eduardo Anghinoni há 13 anos, em Querência do Norte. A defesa deverá recorrer da sentença.

O alvo do atentado seria Celso Anghinoni, um dos líderes do Movimento dos Sem-Terra (MST) na região - seu irmão Eduardo teria sido morto por engano. Exame de balística na arma encontrada com Fermino comprovou que foi a utilizada para os disparos. Nas últimas semanas, líderes do MST reclamaram de intimidações sofridas por parte de pessoas ligadas ao acusado.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.