Justiça manda prender viúva de ganhador da Mega-Sena

Suspeita de ter planejado morte do marido que levou R$ 51 milhões no Rio não foi localizada pela Justiça

Priscila Trindade, da Central de Notícias,

03 Novembro 2009 | 15h54

A Justiça do Rio de Janeiro decretou no sábado a prisão preventiva de Adriana Ferreira Almeida, viúva de René Senna - que foi assassinado após ganhar R$ 51,8 milhões na Mega-Sena. Ela é suspeita de ter planejado a morte do marido.

Na decisão da juíza Roberta dos Santos Braga Costa, da 2ª Vara de Rio Bonito, a magistrada ressaltou que a ré não foi localizada após a realização de várias diligências em dias e horários diferentes. Para ela, a ré "tenta se esquivar da aplicação da lei penal no momento em que se afasta do distrito da culpa, mudando de domicílio sem prévia comunicação ao juízo."

Os ex-seguranças do milionário foram condenados em setembro deste ano a cumprir 18 anos de prisão. O julgamento durou 72 horas. Anderson Silva de Souza, de 33 anos, e Ednei Gonçalves Pereira, de 42, foram condenados a 15 anos por homicídio e 3 anos por furto de dinheiro da vítima no dia do crime. O assassinato ocorreu em 7 de janeiro de 2007.

René foi morto com quatro tiros na cabeça. Ele foi surpreendido quando tomava cerveja dentro de um bar. Adriana Almeida é acusada de ser a mandante do crime.

Mais conteúdo sobre:
Mega-Sena

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.