Laudo aponta falhas de segurança em piscina onde morreu garoto

Laudo da Polícia Técnico-Científica de Goiás aponta que faltaram sinalização e grade de segurança na Piscina Poço do Governador, na Pousada do Rio Quente, onde o garoto Raphael Noguchi Dalpino, de 12 anos, morreu ao ser sugado por uma comporta de escoamento de água, no dia 23 de janeiro. O laudo revela que não foram encontradas grades de proteção na entrada do duto de escoamento nem sinalização informando sobre o trabalho de limpeza e esvaziamento da piscina no momento do acidente. Na perícia, foi feito teste com um salva-vidas de 63 quilos que, conforme o laudo, foi sugado em direção ao duto quando se aproximou da comporta. O laudo foi assinado pelos peritos da Polícia Técnico-Científica Ricardo Matos da Silva e Jefferson do Brasil Pinheiro. A direção da Pousada do rio Quente vai se pronunciar depois que tiver acesso ao documento. A delegada de Rio Quente só vai concluir o inquérito que investiga a morte do menino após ouvir o depoimento da família da vítima. Com base no laudo, ela deverá pedir o indiciamento dos responsáveis por homicídio culposo. O acidente aconteceu na madrugada do dia 23, uma segunda-feira, quando o garoto e um primo de oito anos mergulharam na piscina. Raphael foi sugado para um alçapão de 80 por 60 centímetros.

Agencia Estado,

07 Fevereiro 2006 | 20h56

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.