Laudo de Pagot avalia mansão em R$ 570 mil

Acuado pela nova polêmica que o cerca - a mansão que está construindo em Cuiabá, avaliada por corretores em R$ 2,5 milhões -, o diretor afastado do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit), Luiz Antônio Pagot, divulgou ontem o teor de laudos que encomendou e que conferem ao imóvel valor bem inferior. São dois laudos, um deles subscrito por engenheiros, o outro por uma imobiliária, que estimam em cerca de R$ 570 mil o preço do casarão, situado no condomínio Dom Bosco.

Fausto Macedo, O Estado de S.Paulo

23 Julho 2011 | 00h00

O novo lar de Pagot terá 614 metros quadrados de área construída em três pavimentos, ornada com jardins de 340 metros de extensão. O bairro vai receber melhorias do poder público e uma universidade planeja instalar seu prédio nas imediações.

Os engenheiros João Vicente de Araújo Lima e Ronaldo Rossi sustentam que de acordo com o projeto arquitetônico a casa terá "padrão médio alto", mas alegam que nas ruas do entorno existem "construções de baixo padrão com infraestrutura deficiente, ausência de pavimentação, guias, sarjetas, galerias de águas pluviais, rede de esgoto e iluminação público deficiente".

Segundo os engenheiros, "apesar de inserido em boa localização no contexto urbano o imóvel é totalmente carente de infraestrutura adequada, possuindo sinais de erosão no terreno junto aos muros dos fundos e lateral".

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.