Lula dá palestra fazendo balanço de seu governo

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva estreou ontem à noite na carreira de palestrante. Em evento promovido pela empresa coreana LG na capital paulista. Lula usou sua palestra, pela qual teria recebido R$ 200 mil, para exaltar seus oito anos de governo.

Daiene Cardoso, O Estado de S.Paulo

03 Março 2011 | 00h00

A palestra durou 40 minutos. A imprensa, no entanto, teve acesso a apenas 15 minutos do discurso. "Nos oito anos do meu governo, foram criados 15 milhões de vagas com carteira assinada", ressaltou, ante uma plateia de cerca de mil empresários do setor varejista.

Lula leu a maior parte da sua apresentação e destacou a importância de seu governo ter atuado para a redução das desigualdades sociais. "Vinte milhões de pessoas saíram da pobreza e outros 36 milhões entraram para a classe média. É mais gente trabalhando e consumindo."

Durante o balanço, Lula destacou que em sua gestão o Brasil enfrentou a "pior crise do capitalismo mundial". Lembrou o episódio em que sofreu críticas por classificar a crise financeira mundial de "marolinha".

"Quando veio a crise econômica de 2008, eu disse que ia ser uma marolinha e fui achincalhado porque estava menosprezando a crise", afirmou. "Quando chegou a crise, em 2008, já tínhamos lançado o Programa de Aceleração do Crescimento em 2007 e, portanto, já estávamos com um programa de desenvolvimento para o Brasil."

Lula citou os programas Luz para Todos e o Minha Casa, Minha Vida, que, segundo ele, ajudaram a aquecer o mercado interno e promover o crescimento econômico num momento de crise.

Diante de uma plateia silenciosa, ele ressaltou ainda que o crescimento econômico do País permitiu que a "maior capitalização da história da humanidade" fosse realizada em São Paulo. "Vocês vão pensar que foi nos Estados Unidos ou na Alemanha, mas a maior capitalização da história da humanidade foi em São Paulo, e foi a da Petrobrás."

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.