Mãe vende bebê em Canoas para comprar drogas

Ela e homem que comprou a criança de 7 meses por R$ 500 foram presos após denúncia

Wálmaro Paz, especial para O Estado de S.Paulo

21 Outubro 2010 | 18h55

Uma vendedora de 27 anos foi presa por vender o próprio filho, de apenas sete meses, por R$ 500, no bairro de Niterói, em Canoas, região metropolitana de Porto Alegre. Na Delegacia de Polícia de Pronto Atendimento (DPPA), nesta quinta-feira, 21, a mulher disse ser usuária de drogas e admitiu ter recebido R$ 200 para entregar o menino - o restante seria pago pelo 'cliente' em novembro.

 

O caso, que aconteceu em setembro, só veio à tona por causa de uma denúncia feita por uma prima da vendedora, que quando soube da venda, ligou para o 190. Uma viatura do 15.º BPM foi ao local e recebeu, de vários moradores, relato semelhante: o bebê fora comercializado com um morador da região. Os PMs foram, então, até a casa da mulher, que confessou o crime indicou onde estava a criança.

 

A mãe contou que os R$ 200 de entrada foram gastos com drogas para ela e o marido consumirem. Ela, que tem outras duas filhas, de 6 e 8 anos, disse aos policiais que queria dar um futuro melhor para menino. Na delegacia, no entanto, a mulher disse que havia dado a criança e que o casal "deu o dinheiro de livre e espontânea vontade". A mulher apresentou um papel, escrito à mão, no qual se comprometia a doar a criança a Jefferson.

 

O delegado de plantão na DPPA, Luiz Frank, informou que tanto a mãe quanto comprador foram presos em flagrante, apesar de a venda ter sido praticada há mais de uma semana. Eles foram autuados com base no artigo 238 do Estatuto da Criança de do Adolescente. O companheiro da mulher, de 46 anos, também foi levado à DPPA e autuado em flagrante por ter participado do crime.

 

A criança, aparentemente saudável, segundo o delegado, foi entregue ao Conselho Tutelar da cidade.

Mais conteúdo sobre:
drogas Canoas RS criança venda

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.