1. Usuário
Assine o Estadão
assine


Maníaco atacava na saída do metrô

Camilla Haddad - O Estadao de S.Paulo

19 Fevereiro 2009 | 00h 00

Polícia usou imagens de TV e o Orkut para chegar ao analista de comunicação; 4 jovens já o identificaram

A polícia prendeu ontem um homem acusado de estuprar quatro mulheres em locais próximos das estações do Metrô Vila Mariana, Paraíso, Jabaquara e Saúde. Segundo a polícia, o suspeito agia desde março do ano passado nesses locais. Uma das vítimas, uma moça de 26 anos, foi atacada na escadaria de um prédio comercial em dezembro, na Avenida Jabaquara. O analista de comunicação Alexandre Filadelfo Suyama, de 29 anos, conhecido como Hut, foi detido pela manhã em sua casa, na região do Metrô Conceição, após ter a prisão temporária de 30 dias decretada. No 96º DP (Brooklin), o rapaz foi reconhecido por quatro mulheres. Apelidado pela polícia de "maníaco do metrô" era investigado desde 20 de dezembro, quando aconteceu o último estupro. Câmeras do circuito interno do prédio comercial gravaram imagens do suspeito acariciando a mulher de 26 anos no elevador. Os dois passaram facilmente pela portaria, pois Suyama fez a vítima dar as mãos para ele. O que foi decisivo para sua captura é que nas imagens ele aparecia com um boné preto com a sigla Hut. Policiais procuraram a sigla em um site de relacionamento da internet, o Orkut, e descobriram a identidade do acusado, que usa o mesmo apelido desde a infância. Segundo o delegado Antônio Carlos Munera Silveira, titular do Setor de Investigações Gerais (SIG), da 2ª Delegacia Seccional Sul, Suyama, com 1,85 metro, preferia mulheres de baixa estatura e magras, que não oferecessem resistência. Ainda segundo o delegado, o preso já tem passagem por tentativa de estupro. Além dos quatro crimes, Suyama confessou ter violentado mais duas mulheres. O delegado vai investigar esses casos e espera que mais vítimas apareçam no 96º DP. CDP De acordo com a polícia, as mulheres que já identificaram o bandido têm 15, 16 e 21 anos de idade. Além da jovem estuprada no prédio comercial, os outros crimes ocorreram em casas abandonadas,também nas redondezas das estações de metrô. O suspeito seria transferido ainda ontem para o Centro de Detenção Provisória de São Bernardo do Campo, na Grande São Paulo. A polícia vai pedir à Justiça que ele aguarde julgamento preso.

  • Tags: