Fábio Motta/AE
Fábio Motta/AE

Marinha e PF fazem varredura em casas que poderão ser visitadas pelo papa em favela

Com cães farejadores e equipamentos especiais, vistoria na Varginha visa a localizar explosivos e artefatos químicos e biológicos

Marcelo Gomes, O Estado de S. Paulo

25 Julho 2013 | 09h24

RIO -  Todas as sete casas que poderão ser visitadas pelo papa Francisco na Favela da Varginha (Manguinhos, zona norte do Rio), nesta quinta-feira, 25, já foram vistoriadas por fuzileiros navais e agentes da Polícia Federal. Com cães farejadores e equipamentos especiais, a varredura visa a localizar explosivos e artefatos químicos e biológicos. A favela está ocupada por centenas de policiais militares e fuzileiros da Marinha.

Depois da varredura do imóvel, agentes da Polícia Federal ficam de plantão na porta para impedir a entrada e a saída das pessoas.

O carteiro José Mauricio Gomes, de 50 anos, disse que a casa dele foi selecionada para a possibilidade de visita papal em votação na paróquia da favela. Ele é devoto, dizimista e frequenta a igreja todos os domingos. "O que mais me tocou ouvir do papa foi ele dizer que os pastores devem ter o cheiro das suas ovelhas", afirmou o fiel.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.