1. Usuário
Assine o Estadão
assine


Menino de 6 anos morre após ser espancado; polícia investiga colegas

Wal Souza - Especial para O Estado

26 Março 2014 | 21h 58

Familiares e vizinhos de criança morta vão prestar depoimento esta semana

MACEIÓ - Um menino de 6 anos morreu por espancamento na madrugada desta terça-feira, 25. Ele deu entrada no Hospital Geral do Estado (HGE), em Maceió, com hematomas e problemas nos órgãos internos. Segundo familiares, o menino teria passado mal após ser agredido por outras crianças.

De acordo com a família, Josival dos Santos foi espancado, na tarde da sexta-feira, 21, na Vila Emater, periferia da capital alagoana, por outras duas crianças de 9 e 10 anos após atrapalhar um jogo de bolinha de gude. Testemunhas contaram aos familiares que uma menina de 10 anos segurou Josival para que o irmão dela o agredisse com socos e pontapés.

"Meu filho chegou em casa reclamando de fortes dores no estômago. Só no sábado, quando as dores aumentaram ele contou o que aconteceu. Levei ele ao posto de saúde, a médica examinou e achou que o problema era uma gripe. Voltamos para casa e ele só piorou. Na segunda-feira outra médica mandou que eu o levasse para o HGE, onde ele acabou morrendo", contou a dona de casa Maria Rosimeire dos Santos.

Investigação. O delegado da Polícia Civil Rodrigo Sarmento, responsável pela investigação preliminar, intimou familiares e vizinhos da vítima a prestarem depoimento. O procedimento foi adotado após o Instituto Médico Legal (IML) confirmar como causa da morte do menino, que completaria 7 anos no dia 31 de março, o espancamento que resultou em hematomas e problemas nos órgãos internos.

Diante das evidências de agressão, a mãe da criança e o padrasto foram considerados suspeitos. A suspeita foi descartada pelo médicos, mas não pelos investigadores, que seguem duas linhas de investigações: agressão dos pais e das crianças. Os pais, assim como vizinhos que presenciaram a briga entre as crianças, devem prestar depoimentos ainda esta semana.

Preocupada com a segurança das duas crianças suspeitas de agressão e diante da repercussão do caso que comoveu os moradores da Vila Emater, a dona de casa Maria Cícera da Silva, mãe das duas crianças, disse que os filhos e a família estão sendo ameaçados. "Não acredito que esse menino morreu por conta dessa briga de criança. Ele já vinha doente há muito tempo e algo pode ter acontecido. Tirei meus filhos daqui porque pessoas os ameaçaram. Meu filho mais velho tem problemas mentais e toda a família está sofrendo com isso", falou.

O corpo de Josival dos Santos Nascimento foi enterrado na tarde da terça-feira, 25, no cemitério público São José, que fica no bairro do Trapiche, em Maceió, sob forte comoção de familiares e vizinhos.