1. Usuário
Assine o Estadão
assine

Militares são atacados em quatro pontos do Complexo da Maré

Marcelo Gomes - O Estado de S. Paulo

08 Abril 2014 | 07h 36

Um mototaxista foi baleado; em protesto, colegas interditaram a Avenida Brasil

Atualizada às 09h23

RIO - Tropas das Forças Armadas foram atacadas por criminosos em pelo menos quatro pontos no Complexo da Maré, na zona norte do Rio, entre a noite desta segunda-feira, 7, e a madrugada desta terça, 8.

Ocupantes de um Corolla preto efetuaram diversos disparos contra militares na Rua C4, na Vila dos Pinheiros, e também na Avenida do Canal 2, nas imediações da Avenida Brasil, na entrada do Conjunto Esperança. Nestes dois locais, os bandidos também atiraram contra pontos de mototáxis.

No segundo ataque, o mototaxista identificado Fabio da Silva Barros, de 28 anos, foi baleado. A tropa acionou uma ambulância do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), que levou o ferido para o Hospital Municipal Souza Aguiar, no Centro. A vítima está internada no Hospital Souza Aguiar (centro) e deverá ser submetida nesta terça a uma cirurgia. Revoltados, um grupo de mototaxistas chegou a interditar duas faixas da pista sentido zona oeste da Avenida Brasil, na altura da Maré.

Os militares também foram atacados a tiros por traficantes em dois pontos da Maré: na Baixa do Sapateiro e no Morro Timbau.

Em nota, o Comando da Força de Pacificação informou que "embora tenha ocorrida a pronta resposta pela tropa em todos os eventos citados, não foi possível realizar a detenção de nenhum integrante das organizações criminosas, tendo em vista que os mesmos realizavam os disparos e imediatamente se evadiam do local." De acordo com o Comando, o patrulhamento no complexo foi reforçado a partir dos ataques e do protesto.

Nesta segunda, na favela Vila dos Pinheiros, uma das comunidades atacadas, uma equipe de reportagem do Estado foi abordada por três traficantes, que determinaram que não fossem tiradas fotografias do local em que estavam.