EL CORDILLERANO
EL CORDILLERANO

Ministério da Justiça abre inquérito para investigar conduta de Azul e Latam em Bariloche

A pasta informou ontem, 21, que abriu investigação para apurar a conduta das duas empresas aéreas durante o fechamento do aeroporto local, por conta das nevascas que atingiram a cidade argentina na semana passada

Fábio de Castro, O Estado de São Paulo

22 Julho 2017 | 15h55

Cerca de 9 mil pessoas teriam sido afetados e estariam sem adequada assistência em Bariloche, na Argentina devido à nevasca que afetou o sul do Continente, informou o Ministério da Justiça, que abriu ontem, (21), investigação para apurar a conduta das empresas aéreas Latam e Azul.

O ministério, via Secretaria Nacional do Consumidor do Ministério da Justiça e Segurança Pública, acionou a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) e o Ministério das Relações Exteriores para obter dados atualizados sobre a situação no aeroporto argentino e o tratamento dado aos envolvidos.

Nos dias 14 e 15 deste mês, brasileiros, por meio das redes sociais, relataram caos no aeroporto em Bariloche, com atrasos e cancelamento de vôos de partida e chegada. Os relatos apontam falhas no fornecimento de informação e suporte aos passageiros pelas duas companhias aéreas.

Por meio de nota, a Latam informou que ainda não foi notificada pelo Ministério da Justiça, mas prestará todos os esclarecimentos necessários ao órgão. Em comunicado publicado quinta-feira, (20), no seu site, a empresa comunica estar regularizando suas operações referentes à Bariloche. 

A companhia assegura que já reacomodou a maioria dos passageiros cujos voos foram impactados pelo fechamento do aeroporto em virtude das condições adversas desde a última sexta-feira (14). Segundo a Latam, os passageiros que ainda se encontram em Bariloche ou em Buenos Aires devem ser acomodados nos próximos voos regulares disponíveis.

A Azul confirma que dois voos (9310, de Viracopos para Bariloche e 9311, de Barioche para Viracopos) foram cancelados no dia 15 de junho por causa das condições meteorológicas no aeroporto argentino, mas declara que ambos foram realizados no dia seguinte, com a reacomodação de todos os clientes com bilhetes comprados. 

A empresa esclareceu ainda que prestou toda a assistência necessária conforme a Resolução 141 da Anac e lamentou eventuais transtornos ocorridos a seus clientes. Segundo a companhia, ações como essa são necessárias para conferir segurança a suas operações e passageiros.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.