Ministro decide continuar na Satiagraha e chama Protógenes de ''fraudador''

JUDICIÁRIO

, O Estado de S.Paulo

25 Março 2011 | 00h00

O ministro Adilson Macabu, do Superior Tribunal de Justiça (STJ), decidiu seguir como relator do caso Satiagraha e chamou o deputado Protógenes Queiroz (PC do B-SP) de "fraudador de provas", atribuindo a ele "comportamento aético, parcial, agressivo, desarrazoado e antijurídico". Macabu rechaçou petição de Protógenes, que alegou sua suspeição no processo de habeas corpus em que o banqueiro Daniel Dantas pede trancamento da Satiagraha. O ministro destacou que Protógenes foi condenado no âmbito da própria Satiagraha a 3 anos e 11 meses de prisão, acusado de fraudar provas e violar sigilo. Segundo o deputado, um filho do ministro, que é advogado, integra escritório "que defende os interesses" de Dantas. "Não sou amigo íntimo nem inimigo capital de qualquer das partes", repeliu o ministro Macabu.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.