1. Usuário
Assine o Estadão
assine

Missa campal abre comemorações pelo centenário de Irmã Dulce

Tiago Décimo - O Estado de S. Paulo

25 Maio 2014 | 19h 21

Processo de canonização está sob análise do Vaticanto, que estuda milagres atribuidos a ela

SALVADOR - Uma procissão pela Cidade Baixa, seguida de uma missa campal, presidida pelo arcebispo de Salvador e primaz do Brasil, d. Murilo Krieger, e acompanhada por cerca de 10 mil pessoas – entre elas o governador baiano, Jaques Wagner (PT) – abriram, no fim da tarde deste domingo, 25, as comemorações pelo centenário de nascimento de Irmã Dulce. 

A religiosa baiana, que tinha como nome Maria Rita de Souza Brito Lopes Pontes (1914-1992) e que foi tornada beata em dezembro de 2010, completaria 100 anos nesta segunda-feira. O processo de canonização da hoje chamada Bem-Aventurada Dulce dos Pobres está sob análise do Vaticano, que estuda casos de milagres atribuídos a ela.

As celebrações pelo centenário de Irmã Dulce seguem ao longo do ano. Entre as principais ações programadas estão o lançamento de um livro e um filme sobre a vida e a obra da religiosa – que será interpretada no cinema pela atriz Regina Braga – e a reabertura do Memorial Irmã Dulce, em Salvador, após obras de requalificação.

Além disso, são esperadas a inauguração da Unidade de Quimioterapia e Radioterapia das Obras Sociais de Irmã Dulce (Osid) e o início da construção da Unidade de Coleta e Transfusão de Sangue da unidade de saúde.