Moradores se assustam e DPs ficam vazios

Os moradores do Morumbi viram o confronto entre as Polícias Civil e Militar alterar a rotina tranqüila. A ex-professora Miriam Ferraz perdeu um compromisso de trabalho. "Se acontecer alguma coisa comigo, quem eu chamo? A polícia? Qual?", questionou. O mesmo sentimento de insegurança tem a caseira Francisca Rocha, que trabalha há 17 anos no bairro. "Eu me sinto mais segura em Paraisópolis, onde moro, do que em uma mansão no Morumbi." No 34.º e no 89.º Distritos Policiais, ambos no Morumbi, no meio da tarde de ontem, os balcões ficaram às moscas. Ninguém foi aos distrito prestar queixa ou registrar boletins de ocorrência. Os policiais de plantão acompanharam o confronto pela televisão. No 34.º DP, eles vibraram quando assistiram pela televisão a um tenente da PM levando um tapa na cabeça de um policial civil.

Bruna Fasano e Jones Rossi, O Estadao de S.Paulo

17 Outubro 2008 | 00h00

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.