1. Usuário
Assine o Estadão
assine

Motorista de carro atingido ia buscar mulher no trabalho

Florence Couto - Especial para O Estado

03 Julho 2014 | 22h 12

Viaduto que caiu fazia parte das obras inacabadas de mobilidade para a Copa do Mundo em Belo Horizonte

BELO HORIZONTE - No final da tarde desta quinta-feira, 3, uma mulher que se identificou como Cristilene chegou ao local em que um viaduto caiu, na Avenida Pedro I, em Belo Horizonte e, por meio de fotos do celular de policiais militares reconheceu o automóvel como sendo do marido dela. 

Muito nervosa, ela contou que o marido estava indo buscá-la no trabalho que fica a poucos metros do local do acidente. Ela soube do caso porque a Polícia Militar foi até o emprego dela e mostrou a foto. 

Clayton de Souza/Estadão
O ônibus atingido pelo desabamento faz parte do sistema do Move, que já circula pela região apesar das obras

À noite, a Construtora Cowan, responsável pelas obras, levou macacos hidráulicos para suspender o viaduto e retirar o carro que ficou completamente embaixo dos escombros. A empresa lamentou o ocorrido e disse que não media esforços para apoiar as vítimas e os familiares. A Defesa Civil recomendou que a estrutura do viaduto vizinho fosse reforçada, o que, segundo a construtora já estava "sendo providenciado". 

O viaduto fazia parte das obras inacabadas de mobilidade para a Copa do Mundo. A atendente de vendas Ana Caroline Caetano, de 20 anos, estava trabalhando na cabine do Sistema Move, onde os passageiros aguardam os ônibus, quando tudo aconteceu. "Nós estávamos dentro da cabine e fez um barulho. A cabine balançou toda. Saímos para ver e tudo tinha caído", contou. Para ela, o acidente aconteceu por causa da pressa para acabar com a obra. "Estava lenta (a obra), mas não tem como correr. Eles querem correr para ficar bonita para a Copa, aí acontece isso", disse a atendente.

Rodrigo Alves, de 34 anos, trabalhava na obra dirigindo um dos caminhões. Ele contou que estava aguardando para recarregar o veículo. "Fui encontrar com o pessoal que estava debaixo do viaduto, assustei e vi o viaduto caindo na minha frente", contou o motorista. Além de um ônibus e um carro, dois caminhões da obra foram atingidos. Ninguém estava dentro dos veículos e o encarregado da obra descartou a possibilidade de ter algum operário debaixo dos escombros. 

O prefeito de Belo Horizonte Marcio Lacerda afirmou, no início desta noite que acidentes como esses "infelizmente acontecem". "Não sabemos se é falha de projeto ou falha de construção. O viaduto ainda estava em fase de construção e não aberto ao tráfego", disse o prefeito. 

Você já leu 5 textos neste mês

Continue Lendo

Cadastre-se agora ou faça seu login

É rápido e grátis

Faça o login se você já é cadastro ou assinante

Ou faça o login com o gmail

Login com Google

Sou assinante - Acesso

Para assinar, utilize o seu login e senha de assinante

Já sou cadastrado

Para acessar, utilize o seu login e senha

Utilize os mesmos login e senha já cadastrados anteriormente no Estadão

Quero criar meu login

Acesso fácil e rápido

Se você é assinante do Jornal impresso, preencha os dados abaixo e cadastre-se para criar seu login e senha

Esqueci minha senha

Acesso fácil e rápido

Quero me cadastrar

Acesso fácil e rápido

Cadastre-se já e tenha acesso total ao conteúdo do site do Estadão. Seus dados serão guardados com total segurança e sigilo

Cadastro realizado

Obrigado, você optou por aproveitar todo o nosso conteúdo

Em instantes, você receberá uma mensagem no e-mail. Clique no link fornecido e crie sua senha

Importante!

Caso você não receba o e-mail, verifique se o filtro anti-spam do seu e-mail esta ativado

Quero me cadastrar

Acesso fácil e rápido

Estamos atualizando nosso cadastro, por favor confirme os dados abaixo