MP denuncia 29 militares por tortura no Mato Grosso e pede a prisão de 7

Ação se deu por morte de aluno durante treinamento das Forças Armadas; segundo denúncia, houve 19 vítimas

Marília Lopes, Central de Notícias

02 Março 2011 | 09h42

SÃO PAULO - O Ministério Público (MP) do Mato Grosso denunciou ontem, 29 militares, acusados de praticar tortura contra alunos do curso de tripulante operacional multi-missão, que resultou na morte do soldado Abinoão Soares de Oliveira. O MP também pediu a prisão preventiva de sete militares das Forças Armadas denunciados.

 

A denúncia foi entregue ao Ministério Público Militar (MPM), que irá encaminhar a notificação ao Exército, à Marinha e Aeronáutica, com recomendações sobre os treinamentos oferecidos pelas corporações. Em um trecho da denúncia, os promotores destacam que "o emprego irrazoável da violência na formação de agentes públicos acaba por repercutir na atividade fim de Segurança Pública, haja vista os índices de truculência policial que a todo tempo ganham espaço na mídia nacional."

 

De acordo com a denúncia do MP, 19 pessoas foram vítimas das torturas praticadas. Os militares envolvidos no curso devem responder por crime de tortura seguida de morte contra o soldado de Alagoas, Abinoão Soares de Oliveira, e tortura, além da qualificação por ser crime cometido por agente público. A denúncia foi oferecida na Vara Especializada Contra o Crime Organizado, Ordem Tributária e Econômica e Administração Pública de Cuiabá.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.