MP-RJ investigará PM que jogou spray de pimenta em criança

Fato ocorreu durante manifestação de ex-moradores do Morro do Bumba, que perderam suas casas após deslizamento causado pelas chuvas.

Marília Lopes, Central de Notícias

30 Março 2011 | 10h10

SÃO PAULO - O Ministério Público do Rio de Janeiro (MP-RJ) irá investigar se houve abuso de poder por parte de um policial militar flagrado jogando spray de pimenta diretamente nos olhos de uma criança e de um garçom, durante uma manifestação de ex-moradores do Morro do Bumba, em Niterói. O protesto aconteceu na última quarta-feira, 23. Os ex-moradores do Bumba reivindicavam, em frente à Prefeitura, o pagamento do aluguel social.

 

O titular da 4ª Promotoria de Justiça de Investigação Penal da 2ª Central de Inquéritos, Cláudio Calo Sousa, expediu um ofício ao Comando do 12º Batalhão da Polícia Militar (BPM), requisitando, em 72 horas, cópias do procedimento administrativo disciplinar ou sindicâncias instauradas para apurar os fatos, as qualificações do policial e também sua folha de assentamentos funcionais.

 

Na quinta-feira, 24, o Comando da Polícia Militar do Rio de Janeiro afastou o capitão flagrado jogando spray de pimenta na criança e no garçom Gustavo Barreto Rezende, que participava da manifestação em Niterói. O comandante da PM, coronel Mário Sérgio Duarte, afirmou que o oficial, após o afastamento e a abertura de um inquérito policial militar, seria encaminhado a um programa de capacitação e treinamento para uso de materiais não letais.

 

Os manifestantes perderam suas casas em abril do ano passado em um deslizamento no Morro do Bumba, área de risco em Niterói. Mais de 40 pessoas morreram na tragédia.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.