Municípios pobres já têm boa cobertura do programa

Contrariando a expectativa do governo federal, levantamento feito nos municípios de mais baixa renda do Maranhão e do Piauí, os Estados mais pobres do País, mostra que todos os potenciais beneficiários do Bolsa Família já teriam sido alcançados pelo programa. A pesquisa usou dados do próprio Ministério do Desenvolvimento Social, que coordena o recém-lançado Brasil sem Miséria.

Marta Salomon, O Estado de S.Paulo

25 Julho 2011 | 00h00

Nos dez municípios consultados, a cobertura do Bolsa Família supera 100% da estimativa oficial do número de pobres com o qual o ministério trabalha. "Essa é uma boa questão", reagiu Ana Fonseca, secretária extraordinária de superação da extrema pobreza. Ela acredita que possa haver erro na estimativa de pobres, a ser corrigida por dados detalhados do Censo de 2010 e destaca que a maioria dos municípios pesquisados indicou queda nos índices de pobreza nos últimos anos.

O Nordeste é a região com o maior índice de cobertura do Bolsa Família: 108% das famílias pobres teriam sido contempladas com os pagamentos mensais do programa federal. Por outro lado, a região Sul tem a menor abrangência: 82% dos supostos pobres receberiam o benefício de R$ 32 a R$ 242 por mês.

O levantamento mostra ainda que, apesar de receberem a bolsa, as pessoas desses municípios registram baixíssimo acesso ao trabalho e a oportunidades de estudo. Isso indica mais dificuldades para a emancipação das famílias do programa de transferência de renda.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.