Dida Sampaio/AE
Dida Sampaio/AE

''Não queremos ser vendidos. Temos um nome a zelar''

Gabriel Chalita, DEPUTADO FEDERAL (PSB-SP)

Eugênia Lopes, O Estado de S.Paulo

02 Março 2011 | 00h00

Insatisfeito com os rumos do PSB, o deputado Gabriel Chalita (SP) estuda deixar o partido e fundar uma legenda. Um de seus alvos é o governador do Ceará, Cid Gomes (PSB), e seu irmão, o ex-deputado Ciro Gomes. Assim como Chalita, os Gomes estão descontentes com o comportamento do governador de Pernambuco e presidente da legenda, Eduardo Campos, e estariam propensos a sair do PSB.

As conversas começam a ser travadas. Anteontem Chalita telefonou para Cid Gomes e os dois ficaram de se encontrar nos próximos dias. A principal crítica de Chalita a Eduardo Campos é a forma como ele vem articulando a entrada no PSB do prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab. Já os Gomes não "engolem" até hoje o veto de Eduardo Campos à candidatura de Ciro na disputa pela Presidência, no ano passado.

Em entrevista ao Estado, Chalita afirmou que as negociações para o novo partido ainda estão incipientes. As conversas, por enquanto, se limitam à ex-prefeita Luiza Erundina, que se diz desconfortável com a eventual ida de Kassab para o partido. O deputado José Antonio Reguffe (PDT-DF) é outro que estuda entrar na nova agremiação.

O senhor está insatisfeito no PSB e vai criar um partido?

Eu estou conversando. Não conversei ainda com o Eduardo Campos sobre o que vai acontecer. Eu tenho conversado com a Erundina. Nós dois fomos os deputados mais votados do partido em São Paulo.

O senhor convidou o governador Cid Gomes para esse partido?

Falei com ele ontem (anteontem) por telefone. Ficamos de nos encontrar. Mas não o convidei para o novo partido até porque não sabemos se vamos montar um.

O prefeito Gilberto Kassab também pretende criar um partido.

O Kassab tem o direito de montar um partido. Agora, ele criar esse partido para fundir com o PSB... Se o que a imprensa está dizendo é verdade, é lamentável. Não se entrega um partido.

Eduardo Campos o procurou para conversar sobre o ingresso do Kassab no PSB?

Liguei para ele (Campos) na semana passada. Espero que sente e converse com os deputados do PSB por São Paulo. É estranho o presidente de um partido ir a São Paulo conversar com Kassab e, em nenhum momento, nós do partido sabermos disso. A gente não quer ser vendido. Nós temos um nome a zelar.

O senhor é candidato a prefeito de São Paulo no ano que vem?

A eleição ainda está longe, mas não descarto essa hipótese. Mas não quero montar um partido só por causa da eleição. Quero um partido com uma bandeira, com projeto na área de educação. Ser candidato é consequência. Saí do PSDB porque me senti sem espaço com o Serra. Vendi a alma para o PSB.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.