1. Usuário
Assine o Estadão
assine


Neve na primavera surpreende Santa Catarina

O Estado de S.Paulo

26 Setembro 2012 | 14h 43

Há 12 anos, não ocorria o fenômeno na estação mais florida do ano

FLORIANÓPOLIS - Pela primeira vez nos últimos 12 anos, a primavera de Santa Catarina deixa de ser reconhecida pelo colorido das flores e passa a chamar atenção pelo branco da neve.

 

O fenômeno chegou na noite de terça-feira, 25, com os primeiros flocos caindo sobre os moradores da Serra, mas ao amanhecer, quando a neve caiu com mais força no município de São Joaquim, as paisagens ficaram realmente brancas.

 

Também houve registro de neve, entre a noite de terça-feira, 25, e a manhã de quarta-feira, 26, nos municípios de Bom Jardim da Serra e Urubici.

De acordo com a Epagri/Ciram, responsável pelo monitoramento das condições meteorológicas em Santa Catarina, a última vez que houve registro de nevasca na primavera no Estado foi em 2000.

 

A Epagri ainda divulgou que a queda nas temperaturas ocorreu pela chegada de uma massa de ar polar. O frio intenso, somado ao vento forte, levou a uma sensação térmica de -21°C às 5h em São Joaquim e -30°C às 4h no Morro da Igreja.

Sincelo. Mas os fenômenos climáticos não param por aí. Em Urupema, os moradores puderam apreciar o sincelo. O fenômeno, provocado pela combinação de nevoeiro e baixas temperaturas, nada mais é do que o congelamento das gotas de água quando entram em contato com superfícies frias, como as folhas de árvores. O sincelo ajudou a pintar de branco a estação mais colorida do ano.

 

 

SP. A queda brusca de temperatura em São Paulo fez a Coordenadoria Municipal de Defesa Civil decretar estado de alerta, às 7h26 de quarta-feira, 26. O termômetro oficial do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), na zona norte, marcou mínima de 9,1°C, às 16 horas. Mas o Centro de Gerenciamento de Emergências (CGE) registrou, ao meio-dia, 9°C no Aeroporto de Congonhas, onde os ventos de 50 km/h derrubaram a sensação térmica para -4°C.

 

O clima foi causado por uma densa frente fria que passa pelo Estado e deve permanecer até o fim da semana. Segundo a Climatempo, a máxima hoje deve ser de 17°C e a mínima, de 8°C.

 

Com a mudança na temperatura, os paulistanos tiveram de sair agasalhados de casa. E moradores de rua tiveram de improvisar. Cinco pessoas em uma praça perto do Viaduto Bresser, na zona leste da capital, pegaram cavaletes com propaganda política para se abrigar do frio. Um deles era Paulo Ferreira da Silva, que mora há dois anos na rua. Ele prometia devolver o material quando terminasse de usar.

 

Os registros do Inmet apontam que a cidade teve "queda livre" na temperatura na quarta-feira. A máxima, de 18,4°C, foi registrada à meia-noite. Depois, o frio ficou cada vez mais forte. No Estado, a mínima foi de 5,8ºC, na estação do Inmet em Barra do Turvo, no Vale do Ribeira.

 

A manhã de quarta também foi marcada por chuva fraca que perdeu força até o início da tarde. Desde a noite de anteontem choveu 9,2 milímetros, quantidade baixa, mas que é considerada significativa, já que a cidade saiu de uma estiagem de 62 dias na última quarta-feira. (GHEISA LESSA, ELDER OGLIARI e DANIEL CARDOSO, ESPECIAL PARA O ESTADO)