Nevoeiro prejudica vôos no Rio de Janeiro e em Porto Alegre

O mau tempo voltou a prejudicar as operações do aeroportos brasileiros. O Aeroporto Internacional Salgado Filho, em Porto Alegre, e o Aeroporto Santos Dumont, no Rio de Janeiro, foram os mais atingidos. O Aeroporto Salgado Filho foi fechado para pousos às 21h52 de segunda-feira, 9, por causa de uma neblina, e continuavam suspensas na manhã desta terça. As decolagens, no entanto, podiam ser feitas por instrumentos. Da zero hora às 9h30min desta terça-feira oito chegadas e cinco partidas foram canceladas. O painel também mostrava 13 aterrissagens e 20 decolagens atrasadas, correspondentes às operações que ainda esperavam por condições meteorológicas para serem feitas. No Santos Dumont, que concentra os vôos da ponte aérea Rio-São Paulo, as operações também era feitas o auxílio de instrumentos por conta da névoa que encobre parcialmente o Rio desde a madrugada desta terça-feira. A pista chegou a ficar fechada para pouso de 7h40m até às 8h23m. O Aeroporto Internacional Tom Jobim (Galeão) também operava com o auxílio de instrumentos e a situação na área de embarque era tranqüila, de acordo com a Infraero. No dois principais aeroportos paulistas, a situação continuava tranqüila na manhã desta terça. No Aeroporto Internacional de São Paulo (Cumbica), em Guarulhos, três do 55 vôos programados operavam fora do horário previsto e três foram cancelados. Números parecidos foram verificados no Aeroporto de Congonhas, na zona sul da capital. De 57 vôos programados, quatro sofreram atrasos além de uma hora, além de três cancelamentos. Texto alterado às 10h23 para acréscimo de informações.

Elder Ogliari, do Estadão, e Elvis Pereira, do estadao.com.br

10 Julho 2007 | 10h25

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.