Nota da ANJ condena ataques à emissora de televisão no Rio

'Atos de vandalismo são incompatíveis com o legítimo direito à manifestação, e refletem o caráter autoritário de quem os pratica', diz texto

18 Julho 2013 | 18h39

Em nota, a Associação Nacional de Jornais (ANJ) condenou os ataques à uma emissora de televisão no Rio de Janeiro, na noite de quarta-feita, 17. Uma manifestação em frente à casa do governador Sérgio Cabral (PMDB), no Leblon, seguia pacífica quando, por volta das 22h30, teve início um quebra-quebra que resultou em confrontos. Barricadas de fogo foram montadas nas ruas e diversas agências bancárias e estabelecimentos comerciais foram depredados, além da emissora.

Veja a nota da ANJ na íntegra:

A Associação Nacional de Jornais (ANJ) condena com veemência os ataques contra sede da Rede Globo e carro de reportagem do SBT, no Rio de Janeiro, ocorridos na noite desta quarta-feira, dia 17.

Esses atos de vandalismo são incompatíveis com o legítimo direito à manifestação, e refletem o caráter autoritário de quem os pratica. A violência contra veículos de comunicação é também contra a liberdade de expressão e a democracia. Em última análise, busca atingir o direito dos cidadãos de serem livremente informados.

A ANJ se solidariza com as empresas e os profissionais alvo da intolerância, e reafirma a importância essencial para o processo democrático dos meios de comunicação profissionais, independentes e responsáveis.

Brasília, 18 de julho de 2013

Francisco Mesquita Neto

Vice Presidente da ANJ- Responsável pelo Comitê de Liberdade de Expressão

Mais conteúdo sobre:
manifestação Rio Sérgio Cabral ANJ

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.