Novo governador busca emprego para Hartung

Eleito com 82% dos votos, Renato Casagrande (PSB) lança nome de atual governador para ocupar ''melhor ministério possível'' do próximo governo

Ernesto Batista, O Estado de S.Paulo

07 Outubro 2010 | 00h00

O governador eleito do Espírito Santo, Renato Casagrande (PSB), anunciou ontem que uma de suas primeiras medidas será arrumar emprego para o atual governador capixaba, Paulo Hartung (PMDB). Casagrande não vai nem esperar a definição da eleição presidencial: admitiu que seu objetivo é arrumar nada menos que um ministério para o aliado Hartung na composição do presidente que será eleito no próximo dia 31 de outubro. A afirmação foi feita quando Casagrande apresentava a equipe de transição do governo.

"Se eu tiver alguma influência no próximo governo federal, farei a defesa do nome de Paulo Hartung para ocupar o melhor ministério possível, para que ele possa projetar o Estado em um projeto nacional", disse.

O governador eleito afirmou ainda que vai trabalhar de maneira efetiva na campanha de Dilma Rousseff para a Presidência. "O papel do PSB capixaba será o máximo possível, mas de maneira equilibrada. Agora temos um papel de militância, de ir para as ruas."

Eleito com 82% dos votos, Casagrande apresentou os quatro componentes da equipe de transição do governo. Dois deles são secretários de Hartung - o secretário de Governo, José Eduardo Faria de Azevedo e o de Transportes e Obras Púbicas, Neivaldo Bragato -, e os outros dois são ligados ao próprio governador eleito: o economista Maurício Duque e o coordenador de programa, Guilherme Henrique Pereira.

Todos os quatro fizeram parte da coordenação da campanha de Casagrande para o governo e os nomes foram decididos em comum acordo com Hartung, em um contato esta semana. "Já fizemos um levantamento amplo de dados, agora eles têm a função de me apresentar um plano de trabalho. Este grupo tem legitimidade para procurar as instituições e entidades e levantar as informações que forem necessárias", afirmou .

A pequena equipe terá quatro funções: pensar as primeiras ações do seu governo, preparar o seminário de planejamento estratégico de 2011, garantia a continuidade de contratos a ações de governo essenciais e prepara o Plano Pluriaanual de Ação (PPA) 2011-2015, que precisa ser enviado para a Assembleia Legislativa até o final de agosto.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.